O Comunicador

Nelson Teich pede demissão do ministério da saúde

O ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu demissão hoje do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Uma coletiva de imprensa está marcada para esta tarde para esclarecer a exoneração. A saída do ministro acontece menos de um mês após ele substituir Luiz Henrique Mandetta na pasta, e sua saída já vinha sendo cogitada havia alguns dias.

No momento em que a demissão de Teich foi anunciada, Bolsonaro estava participando do lançamento de uma campanha de conscientização contra a violência doméstica feita pelo Ministério da Mulher e da Família. Ele estava acompanhado de sua mulher, Michelle Bolsonaro, e dos ministros Onyx Lorenzoni e Damares Alves e não falou no evento. Um dos nomes cotados para assumir o comando do ministério da Saúde é justamente o atual número 2 da pasta, o general de divisão Eduardo Pazuello. Segundo a colunista do UOL Carla Araújo, o nome do militar conta com o apoio dos generais que ocupam ministérios no Palácio do Planalto.

2ª queda de ministro durante a pandemia

Nelson Teich já é o segundo ministro da Saúde que cai em plena pandemia do novo coronavírus. Luiz Henrique Mandetta, que estava no cargo desde o início do governo Bolsonaro, deixou o ministério da Saúde no dia 16 de abril, colocando fim a uma gestão marcada pelo embate com o presidente sobre o combate covid-19. A defesa do ex-ministro para que o país seguisse as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para brecar a proliferação da doença no país gerou atrito com Bolsonaro, que é a favor da tese de que a economia não pode parar e que apenas uma parcela da população deveria ficar em isolamento.

O apoio público do presidente para o uso da cloroquina também foi outro motivo de discórdia entre os dois.

*UOL

Postado em 15 de maio de 2020 - 12:40h

0 comentário

Brasil tem quase 80 mil curados do coronavírus

Foto: Fábio Nunes Teixeira /PMG

De acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (14), o Brasil registrou 79.479 recuperados da covid-19. São 1.055 pessoas curadas a mais que ontem. O ministério informou ainda que há 109.446 infectados em acompanhamento.

*BG

Postado em 14 de maio de 2020 - 21:32h

0 comentário

Atualizado: Mais 10 óbitos confirmados no RN. Total chega a 117

Imagem: reprodução/Instagram/SesapRN

O Rio Grande do Norte chegou à marca de 117 mortes por Covid-19 e ainda há 56 em investigação. De acordo com o boletim divulgado nesta quinta-feira (14) pela secretaria de Estado de Saúde Pública, 11 novas mortes em Natal foram confirmadas nas últimas 24 horas. No dia anterior, a capital potiguar registrou 22 vítimas e hoje apareceu com 33, um aumento de 33% em apenas um único dia. Durante a coletiva da Sesap no início da tarde, o número de óbitos informados foi de 107.

O Governo já classificou o cenário em Natal como “muito grave” e admitiu a superlotação dos hospitais. De acordo com o secretario-adjunto de Saúde Pública Petrônio Spinelli, 96,5% dos leitos na capital potiguar já estão ocupados.

Ao todo, 2.537 pacientes já foram diagnosticados com a Covid-19 no Estado potiguar e 8.438 pessoas são classificadas como “suspeitas”.

O número de pessoas internadas saltou de 282 para 328 nas últimas 24 horas. Desses, 226 ocupam leitos públicos e 102 estão em hospitais privados.

“O que está muito claro é que o nosso planejamento de abertura de leitos ainda está correndo na frente, mas o vírus está muito rápido atrás. Essa semana vamos abrir mais leitos”, destacou Spinelli.

No plano emergencial de expansão de leitos da Sesap, estão previstas em Natal a abertura de mais 12 leitos no hospital Giselda Trigueiros e até 15 leitos no hospital da Polícia Militar. Em Mossoró, o Governo espera abrir mais 10 leitos de pós-UTI com respiradores no hospital Rafael e mais 20 leitos no hospital São Luís. No Tarcísio Maia, mais 10 leitos de semi-intensivo serão transformados em UTI.

Spinelli conta que o problema maior em Mossoró é a falta de profissionais. Por enquanto, o número de respiradores tem atendido à demanda:

– Ainda tem mais de 80 respiradores para serem usados em Mossoró. O problema é a falta de médicos. Contratamos cinco escolas da Cooperativa, os médicos recém-formados estão sendo utilizados. Como não é uma epidemia estadual não é possível recorrer a outros estados. No Ceará, por exemplo, estão precisando de mais médicos do que nós. Então estamos capacitando e organizando”, disse.

Uma novidade boa, segundo o gestor, foi a contratação de uma empresa para gerenciar os leitos nos hospitais públicos. A própria empresa monta os equipamentos de UTI, o que vai possibilitar já nos próximos dias a abertura de mais 20 leitos no hospital João Machado e outros 10 no hospital de Macaíba.

– Vamos tentar ampliar esses leitos com essa empresa. Veremos até onde ela tem condição de ir. Mas a questão dos médicos também um limitador”, explicou.

*Saiba Mais

Postado em 14 de maio de 2020 - 19:22h

0 comentário

Covid-19: Fábio Faria quer saber o que Fátima fez com R$ 61 milhões repassados por Bolsonaro ao RN

O deputado Fábio Faria (PSD) utilizou novo vídeo nesta quinta-feira (14) para cobrar transparência na aplicação dos recursos para enfrentamento ao coronavírus, que estão sendo enviados pelo governo federal. “Falta a governadora dizer onde está investindo”, destaca o parlamentar.Entre as perguntas: “o que foi feito  dos R$ 61,6 milhões que o governo Bolsonaro já depositou na conta do Governo do Estado?”.

*BLOG DO FM

Postado em 14 de maio de 2020 - 19:16h

0 comentário

Tomba Farias pede que Fátima Bezerra “assuma a governança do RN” e não paralise obras da barragem de Oiticica

“O que está faltando, governadora? Vontade? Coragem? Assuma o papel da sua governança e bote para funcionar esse Rio Grande do Norte. Esse Rio Grande não pode ser paralisado. Nós temos que tomar conta das vidas, mas temos também que tomar conta daqueles que mais necessitam e do desenvolvimento do Rio Grande do Norte, pois senão pode ser tarde demais. Podemos até salvar muitas vidas, mas também podemos entrar em colapso e quem vai estar na UIT, sem respiradores, sem solução, é o estado do Rio Grande do Norte”.

A declaração é do deputado estadual Tomba Farias (PSDB), que durante a sessão ordinária desta quinta-feira, na Assembleia Legislativa, teceu sérias críticas à governadora Fátima Bezerra (PT), que decidiu não prosseguir com as obras da barragem de Oiticica, apesar de haver recursos da ordem de 50 milhões de reais para dar continuidade ao empreendimento.

“Eu queria muito acreditar nesse governo, mas a cada dia que passa é só muita insegurança e enganação”, disse o parlamentar ao relembrar o esforço do ministro Rogério Marinho e da própria bancada federal para assegurar os recursos para a execução da obra, que, segundo enfatizou, “ há mais de 30 anos se arrasta”.

O parlamentar lembra que o governo havia assumido o compromisso de “tocar” a obra, tomando todas as medidas de proteção relacionadas aos protocolos de segurança do COVID 19. “Foi isso que ficou acetado na reunião com o consórcio da construtora EIT, mas o que ela fez foi justamente o contrário, prejudicando 350 trabalhadores que iriam trabalhar no empreendimento”, assinalou.

Segundo o parlamentar municipalista, a barragem de Oiticica é uma obra necessária, que o povo do Rio Grande do Norte clama por muitos anos e que a própria Fátima Bezerra, antes de ser governadora, “vivia no twitter pedindo a execução, e depois de eleita governadora também vivia pedindo a Rogério Marinho a liberação de recursos”.

“Não quero acreditar que a governadora não vá repensar a sua decisão de suspender uma obra que ela pedia tanto no Twitter”, alfinetou o parlamentar.

*BG

Postado em 14 de maio de 2020 - 18:51h

0 comentário

Combinação de hidroxicloroquina e zinco pode ser eficaz no tratamento de pacientes com Covid-19, indica estudo

A combinação de zinco com hidroxicloroquina está sendo testada em um estudo clínico randomizado como forma de prevenir a infecção pelo novo coronavírus. Reprodução/Getty Images

Um novo estudo mostrou que adicionar um suplemento de sulfato de zinco à combinação de hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento de pacientes com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, pode ser uma opção eficaz. De acordo com os autores, da Universidade de Nova York, essa é a primeira vez que as duas combinações – zinco, azitromicina e hidroxicloroquina contra apenas azitromicina e hidroxicloroquina – são comparadas. A pesquisa é preliminar e ainda precisa passar por revisão da comunidade científica.

Depois que Nova York se tornou o epicentro da pandemia nos Estados Unidos, os hospitais da região passaram a adotar o uso de terapias ainda em fase de teste nos pacientes com a doença, incluindo o uso de hidroxicloroquina e azitromicina. Após experimentos em laboratório indicarem uma eficácia do zinco na inibição da transcrição do RNA do Sars-Cov-2 de um efeito mais robusto quando combinado com a cloroquina ou hidroxicloroquina, alguns médicos de Nova York decidiram adicionar o zinco à combinação já utilizada de hidroxicloroquina e azitromicina em pacientes internados com Covid-19.

Os pesquisadores da Escola de Medicina Grossman, da Universidade de Nova York, decidiram então revisar os registros de pacientes tratados com a combinação tripla e a combinação dupla e comparar os resultados. Os prontuários de aproximadamente 900 pessoas infectadas foram analisados. Metade foi submetida ao tratamento de hidroxicloroquina, azitromicina e sulfato de zinco e a outra metade recebeu apenas hidroxicloroquina e azitromicina.

Os resultados mostraram que o uso da combinação tripla diminuiu a necessidade de ventilação mecânica, admissão na UTI e mortalidade ou transferência para cuidados paliativos. Também foi observado que esses pacientes tiveram uma probabilidade 1,5 vezes maior de receber alta e uma redução de 44% no risco de morte, em comparação com aqueles submetido à combinação dupla dos medicamentos.

Por outro lado, fatores como o tempo médio de permanência no hospital (seis dias), o período no respirador (cinco dias) e a quantidade total de oxigênio necessária não foram alterados. Vale ressaltar que este é um estudo observacional retrospectivo e, portanto, não um ensaio clínico que busca comprovar a eficácia da intervenção. A pesquisa foi publicada em um site médico de pré-impressão na segunda-feira, 11, e ainda precisa ser revisada por pares.

“O próximo passo lógico seria fazer um estudo prospectivo para verificar se isso é válido para as pessoas às quais você está aplicando zinco e, então, procurar e comparar”, disse Joseph Rahimian, especialista em doenças infecciosas e principal pesquisador, à Agência France-Presse.

A combinação de zinco com hidroxicloroquina será testada como prevenção da Covid-19. O estudo acontece nos Estados Unidos, em trabalhadores de saúde do serviço militar. Outro estudo, em andamento na Turquia, avalia a eficácia da hidroxicloroquina em combinação com zinco e vitaminas A e D na prevenção da infecção em profissionais de saúde e suas famílias.

*Veja

Postado em 14 de maio de 2020 - 16:26h

0 comentário

“Saúde e comida na mesa andam juntos”, diz Bolsonaro após reunião

Foto: Twitter

Jair Bolsonaro foi ao Twitter logo depois da videoconferência com empresários.

“O cenário é preocupante. Uma economia devastada afetará diretamente na saúde. Se verdadeiramente prezamos pela vida e bem-estar, devemos evitar um desastre ainda maior que o vírus. Saúde e comida na mesa andam juntos!”

*O Antagonista

Postado em 14 de maio de 2020 - 16:02h

0 comentário

Lockdown é caminho para fracasso e transformará Brasil em país de miseráveis, diz Bolsonaro

O lockdown, a forma mais restrita de isolamento social para frear a propagação do novo coronavírus, é um caminho para o fracasso e irá transformar o Brasil em um país de miseráveis, disse o presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, ao fazer um apelo aos governadores para que desistam da medida.

“Essa história de lockdown, ‘vamos fechar tudo’, não é esse o caminho. Esse é o caminho do fracasso, de quebrar o Brasil. Governador, prefeito, que porventura entrou nessa onda lá atrás, faça como eu já fiz algumas vezes na minha vida, se desculpa e faça a coisa certa”, disse o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada.

Pelo menos três zonas metropolitanas —São Luís (MA), Belém (PA) e Fortaleza (CE)— já estão em lockdown. Nesta quinta-feira, o Ministério Público do Rio de Janeiro recomendou ao Estado e à prefeitura da capital fluminense a adoção de medidas de isolamento mais restritas, como o lockdown, enquanto Manaus e Rio de Janeiro já apontam a possibilidade de também endurecer as medidas de distanciamento ante o avanço da Covid-19.

Bolsonaro é crítico das medidas de isolamento desde o princípio e entrou em guerra com os governadores que determinaram as medidas de fechamento de comércio e serviços. Essa também foi sua principal divergência com o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que acabou demitido.

O presidente tem tentado burlar as determinações dos governadores aumentando o número de atividades consideradas essenciais por decreto, mas as alterações —a última foi para incluir academias e salões de beleza— têm sido ignoradas pelos governadores, uma vez que o Supremo Tribunal Federal determinou que são os Estados que têm poder de decisão sobre o assunto.

“O Brasil está quebrando. E depois de quebrar, não é como alguns dizem, “ah, a economia recupera”. Não recupera. Vamos ser fadados a viver em um país de miseráveis, como tem alguns países da África sub-saariana. Nós temos que ter coragem de enfrentar o vírus. Está morrendo gente? Está. Lamento? Lamento, lamento. Mas vai morrer muito, muito, mas muito mais se a economia continuar sendo destroçada por essas medidas”, afirmou o presidente.

“Tem que reabrir ou nós vamos morrer de fome, a fome mata. É um apelo que eu faço aos governadores, que revejam essa política. Eu estou pronto para conversar”, acrescentou.

Bolsonaro disse ainda que “vai faltar dinheiro para pagar servidores”, e que grupos que imaginam receber aumentos ainda este ano não terão condições. O presidente planeja vetar, a pedido da equipe econômica, parte do pacote de ajuda aos estados que liberava o reajuste para servidores de algumas áreas, entre elas saúde e segurança, nos próximos dois anos.

Ainda assim, atendeu um pedido do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), para, antes do veto, esperar a aprovação pelo Congresso do reajuste para policiais civis, militares e bombeiros —que são pagos pela União-, o que foi feito.

De acordo com dados divulgados na quarta-feira pelo Ministério da Saúde, existem no Brasil 188.974 casos confirmados de Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, com 13.149 mortes.

*REUTERS

Postado em 14 de maio de 2020 - 15:33h

0 comentário

Cadáver dá “tchauzinho” através do caixão e assusta internautas; veja o vídeo!

Um evento bizarro aconteceu durante um enterro na cidade de Manado, em Sulawesi do Norte, na Indonésia.

A pessoa estava sendo enterrada, com a presença da família e de um padre, quando parte da sua mão se aproxima do vidro do caixão, quase como um aceno. Esse acontecimento sinistro aconteceu durante a leitura da seguinte passagem da Bíblia: “Deus disse no livro de João:`Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”.

Na internet, algumas teorias foram criadas, a de que o morto estaria tentando escapar do caixão ou que esse movimento teria das mudanças químicas que acontecem no corpo do cadáver.

*SBT

Postado em 14 de maio de 2020 - 14:15h

0 comentário

Sindicato dos Médicos do RN é a favor do tratamento precoce com a hidroxicloroquina

Foto: Ilustrativa/ENIVAL FERNANDEZ/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em comunicado nesta quinta-feira(14), contra o lockdown, o Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed/RN)A posição do Sinmed/RN ainda destacou que é a favor do tratamento precoce com a hidroxicloroquina, como forma de evitar agravamento, e busca de leitos de UTI.

O Sinmed-RN ainda diz: “Medidas de isolamento devem contemplar grupos de risco como idosos e portadores de doenças crônicas graves”, diz trecho.

Veja mais: Em comunicado, Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed) é contrário ao lockdown

Postado em 14 de maio de 2020 - 14:10h

0 comentário

Paciente de Currais Novos morreu no Hospital Regional com sintomas suspeitos de Covid-19

Paciente estava internada no Regional em Caicó

Uma paciente natural da cidade de Currais Novos, que estava internada com sintomas suspeitos de Covid-19 morreu nesta quarta-feira (13), no Hospital Regional do Seridó.

Em contato com a assessoria de comunicação da unidade de saúde, o Blog foi informado que ela fez o exame de Covid-19, mas, o resultado ainda não saiu.

*Fonte: Blog Sidney Silva

Postado em 14 de maio de 2020 - 14:03h

0 comentário

Natal: Luiz Almir manda Cícero Martins tomar no c* durante discussão em sessão virtual entre vereadores, vídeo

A baixaria tomou conta da sessão da Câmara dos Vereadores de Natal nesta quinta-feira, 14. A discussão envolvendo os vereadores Cícero Martins e Luiz Almir sobre a votação de um veto da Prefeitura de Natal descambou para os xingamentos. Os vereadores trocaram acusações e em determinado momento Luiz Almir chegou a mandar Cícero tomar no c* e foi respondido na mesma moeda. Antes já haviam se provocado sobre a defesa ao prefeito. Cícero chamou Luiz Almir de “babão” e “puxa-saco”, Almir rebateu chamando o vereador pra briga.

*BG

Postado em 14 de maio de 2020 - 13:58h

0 comentário

Covid-19: RN registra 2.537 confirmados, 8.438. suspeitos e 107 óbitos; 2 nas últimas 24 horas

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte divulgou nesta quinta-feira (14) mais um boletim epidemiológico com os números do Covid-19 no Estado.

O número de casos confirmados chega a 2.537, enquanto eram 2.367 no boletim de ontem (13)

O total de vítimas do Covid-19 no RN chega a 107 – 2 a mais que a atualização do boletim anterior.

Os casos suspeitos chegam a 8.438. Descartados somam 6.636 e pacientes recuperados são 853.

Postado em 14 de maio de 2020 - 13:52h

0 comentário

Para instituto americano, o pico da Covid-19 no Brasil será em 2 de junho

O Institut of Health Metrics and Evaluation (IHME) dos Estados Unidos, que baliza as políticas sanitárias americanas, estima que o Brasil atingirá o pico de casos de Covid-19 em 2 de junho, com um total máximo de 203.985 casos. Depois de 2 de junho, a epidemia começaria a desacelerar no país, baixando para 103.343 casos em 4 de agosto. O pico de mortes seria em 27 de junho, com 1.024 óbitos em 24 horas. Essa estimativa é baseada nos dados oficiais que estão sendo fornecidos pelo Ministério da Saúde do Brasil.

Evidentemente, como os números brasileiros são extremamente inconfiáveis, o IHME tem também um projeção mais pessimista: em 2 de junho, poderemos ter o máximo de 618.152 casos, e o pico de mortes, em 27 de junho, chegaria a  2.646 óbitos num único dia. Nesse cenário mais pesado, em 4 de agosto, teríamos 194.307 casos, com até 1.584 mortes nas 24 horas precedentes.

Na estimativa baseada nos dados oficiais, o Brasil atingiria, em 4 de agosto, um total de 88.305 mortes por Covid-19. Na projeção mais pessimista, o número de óbitos poderia chegar a 193.786.

É um espanto de qualquer forma.

*O Antagonista

Postado em 13 de maio de 2020 - 21:32h

0 comentário

Serpente é resgatada em estacionamento de hipermercado em Natal

Foto: Divulgação

Agentes do Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (Gaam/GMN) resgataram, nesta terça-feira (12), uma serpente da espécie Philodryas Nattereri, conhecida popularmente como Corre-campo ou Corredeira. O animal que mediu 1,2 metro estava no teto do estacionamento de um hipermercado da capital.

A guarnição ambiental da GMN foi acionada via Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). Ao chegar na área, os guardas ambientais localizaram a serpente que foi capturada e acondicionada numa caixa de papelão para ser transportada.

“Como estamos em período de pandemia, consultamos o biólogo Aldemir Silva que é especialista em cobras. Enviamos fotos e vídeo pra confirmar a espécie, saúde aparente e a possibilidade de soltura no bioma do Parque da Cidade”, contou o GM A. Pereira.

A serpente foi diagnosticada em bom estado de saúde e foi conduzida pelos guardas municipais ao Parque da Cidade do Natal para soltura. “Iniciamos o procedimento de soltura sem estresse para o animal, sem bater na caixa, tom de voz firme e tranquilo, sem gritos, movimentos lentos e eficientes, escolhendo o melhor local para a reintegração no meio selvagem”, explicou o guarda municipal.

Os agentes contaram que a serpente da espécie Philodryas Nattereri não oferece risco ao ser humano, já que não é uma cobra peçonhenta, porém tem uma mobilidade muito avançada se deslocando com rapidez. Caso o cidadão encontre uma dessas fora do seu habitat, procure não agredir o animal e acionar os órgãos ambientais via 190 para fazer o resgate.

*Via Jair Sampaio

Postado em 13 de maio de 2020 - 21:25h

0 comentário

MEC estende suspensão de aulas presenciais em universidades até 14 de junho

Estudantes fazem segundo dia de provas do ENEM, na UERJ

Em publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (13/5), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, assinou uma portaria que prorroga por mais 30 dias a suspensão das aulas presenciais nas instituições de ensino superior. A medida vale até 14 de junho.

A decisão passa a valer a partir desta sexta-feira (15/5) e inclui universidades federais, institutos federais, Colégio Pedro II, Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), Instituto Benjamin Constant (IBC) e universidades e faculdades privadas.

Segundo o MEC, as instituições que quiserem substituir as aulas presenciais por virtuais precisam entrar em contato com a pasta. A portaria veda a medida aos cursos de Medicina e às práticas profissionais de estágios e de laboratório dos demais cursos.

Este é o segundo adiamento da volta às aulas presenciais desde o início da determinação de isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

A primeira vez que o MEC decretou suspensão das aulas foi em 18 de março. A medida valia por 30 dias. No dia 15 de abril, o ministério publicou uma nova portaria, prorrogando o prazo mais uma vez, após o agravamento do número de casos e óbitos por covid-19 no país.

Postado em 13 de maio de 2020 - 21:22h

0 comentário

Cerro Corá: Zaja Confecções faz doação de máscaras a secretaria de assistência social

Nesta terça-feira (12) a empresa Zaja confecções fez a doação de 1310 máscaras para a secretaria municipal de assistência social.
A secretaria irá distribuir as máscaras para os usuários dos serviços CRAS, CREAS, Conselho Tutelar, além dos próprios funcionários do órgão.
O empresário da Zaja, Zeca Araújo assumiu o compromisso de fazer doações semanais no período de pandemia.
A prefeitura municipal e a SEMTHAS agradecem a doação e o compromisso com toda a população.

*ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CERRO CORÁ/RN

Postado em 13 de maio de 2020 - 21:12h

0 comentário

Coronavírus: Brasil registra 749 mortes e 11.385 casos em 24h e atinge 13.149 óbitos e 188.974 infectados no total

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (13) o mais recente balanço dos casos de novo coronavírus no Brasil.

Os principais dados são:

13.149 mortes, eram 12.400 na terça-feira (12);

Foram mais 749 novos registros de mortes acrescentados em 24 horas;

188.974 casos confirmados, eram 177.589 na terça-feira (12);

Foram 11.385 casos incluídos no balanço em 24 horas, o número é recorde;

D️e acordo com o Ministério da Saúde, há 97.402 pacientes em acompanhamento (51,4% do total dos casos) e outros 78.424 recuperados (41,5%). ️

*G1

Postado em 13 de maio de 2020 - 20:43h

0 comentário

Juiz dá 48 horas para Estado e Município de Natal se manifestarem sobre ação que pede lockdown de 15 dias

Foto: reprodução

O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Luiz Alberto Dantas, notificou o Estado do Rio Grande do Norte e o Município de Natal para se pronunciarem em 48h sobre o pedido de lockdown impetrado pelo Sindicato dos Trabalhadores de Saúde (Sindsaude-RN). A ação impetrada hoje pede a Justiça que seja decretado lockdown na capital e no Estado por pelo menos 15 dias em virtude do avanço do coronavírus.

Confira todos os detalhes no site Justiça Potiguar.

Postado em 13 de maio de 2020 - 20:40h

0 comentário

Covid-19: Pesquisa mostra que casos confirmados são 35% dos sintomáticos


Foto: Tomaz Silva/Agência Braisl

Um modelo matemático desenvolvido por pesquisadores do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ) e da Universidade de Bordeaux (França) aponta que os casos confirmados de covid-19 no país são cerca de 35% dos indivíduos que tiveram infecções sintomáticas pelo coronavírus. O percentual representa uma melhora em relação a meados de abril, quando a testagem alcançava apenas 15% dos casos sintomáticos.

O Brasil passou de 180 mil casos confirmados, segundo balanço do Ministério da Saúde, que reúne os dados das secretarias estaduais de saúde. Com dimensões continentais e estados em diferentes estágios da pandemia, a situação nacional é uma média da que se desenrola regionalmente, explica o professor titular da Coppe/UFRJ e consultor técnico da Marinha do Brasil Renato Cotta. “O Brasil é um continente, como a Europa, e tem situações muito distintas em cada região”, afirma. São Paulo e Rio de Janeiro já estão atravessando o pico dos casos reportados, estima Cotta, e outros estados, como a Paraíba, ainda vão passar por ele.

Fase aguda + testes

professor assina o estudo com a pesquisadora brasileira Carolina Naveira-Cotta, também da Coppe/UFRJ, e com o epidemiologista francês Pierre Magal, especialista na simulação de pandemias. Renato Cotta conta que a subida mais acentuada da curva de casos confirmados no mês de maio é resultado da combinação da fase mais aguda da epidemia com o aumento da realização de testes, que, ao elevarem o número oficial de casos reportados, ajudam a retirar indivíduos infectados da cadeia de contágio.

“A testagem é importante porque você tira de circulação alguém que pode infectar mais indivíduos suscetíveis. Se você testa e isola, é um indivíduo infectado a menos na cadeia de contágio”, disse ele, que, apesar disso, reconhece: “mesmo que se teste muito, é sempre uma fração, e não estamos testando os infectados assintomáticos da rede de contatos dos indivíduos positivados”.

Isolamento social

Além do aumento do número de testes, um relaxamento progressivo do isolamento social aproximadamente a partir da Semana Santa, na segunda semana de abril, foi percebido no modelo matemático, que precisou ser reajustado no final de abril. Apesar de não ter havido medidas oficiais nesse sentido na época, o pesquisador conta que dados como o Google Mobility Report, que verifica o movimento de celulares nas ruas, mostram o aumento gradual da circulação de pessoas.

“Nas últimas semanas houve uma redução não planejada da quarentena em termos médios no país, e os dados retrataram isso. O modelo então foi adequado e, a partir do final de abril e início de maio, já se percebe nos resultados simulados que o modelo responde adequadamente ao aumento da mobilidade e o aumento da testagem”.

Número de casos

Os resultados recentes aproximaram a curva brasileira de um dos cinco cenários publicados pelos pesquisadores em artigo no site MedXriv. Uma versão atualizada da pesquisa também deve sair ainda este mês na revista científica Biology. O cenário avaliado por Cotta como o mais próximo da realidade considera um isolamento social não tão severo e uma testagem mais ampla. Se mantidas as mesmas condições ao longo de toda a evolução, a projeção aponta que o número de casos confirmados pode chegar a um valor estabilizado de cerca de 275 mil casos no dia 150 da epidemia, na segunda quinzena de julho, considerando 24 de fevereiro como o dia um.

Tais projeções, explica Cotta, estão sujeitas aos impactos de novas medidas adotadas pelas três esferas de governo e ao comportamento da população. “O que posso lhe dizer é que a dosagem da redução de isolamento e da testagem e a data/época da sua aplicação são cruciais para o planejamento do retorno às atividades em geral”. Ele exemplifica que o relaxamento da quarentena em 50% após 1º de junho pode gerar, logo em seguida, um segundo pico de casos reportados ainda maior do que o vivido neste mês de maio, trajetória que provavelmente seria interrompida por novas restrições à circulação, que viriam em resposta a esse possível cenário, acredita o professor da Coppe.

Já um relaxamento da quarentena em 30% com aumento da testagem reduziria esse segundo pico a um patamar menos acentuado que o pico de maio, situação que poderia ser atendida com a estrutura já mobilizada para tratar pacientes da pandemia. “O importante é realizar essas análises regionalmente, para melhor retratar o comportamento da epidemia nas regiões específicas, e simular diferentes datas e percentuais para a redução da quarentena, o que pode auxiliar os gestores municipais e estaduais na tomada de decisões”.

OMS

A testagem vem sendo considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como fundamental para a retomada segura das atividades econômicas mundo afora. Em entrevista coletiva de imprensa realizada na última segunda-feira, o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom, descreveu que muitos países iniciaram o relaxamento das medidas restritivas na última semana.

A OMS considera que é preciso responder a três perguntas antes de decidir se o isolamento social deve ser relaxado: a epidemia está sob controle? O sistema de saúde está pronto para lidar com uma nova alta de casos após o relaxamento? O sistema público de vigilância em saúde está preparado para detectar e monitorar os casos e seus contatos e identificar um ressurgimento dos casos?

“Essas três questões podem ajudar a determinar se um lockdown pode ser vagarosamente relaxado ou não”, disse Tedros Adhanom, que afirmou que, mesmo com três respostas positivas, a tarefa de reabrir a economia é complexa.

O professor da Coppe relembra o exemplo sul-coreano, em que o sistema de vigilância realizou testes em massa já desde o início da epidemia, o que permitiu que até casos assintomáticos fossem identificados a partir da testagem de quem teve contato com casos sintomáticos. Com isso, a Coreia do Sul, país de mais de 50 milhões de habitantes, conseguiu frear a epidemia em 10 mil casos e cerca de 150 óbitos.

“A volta tem que ser vigiada, sempre vigiada. Enquanto a gente não tiver a vacina, essa é a forma de lidar com a epidemia”, pontuou o professor.

*Agência Brasil

Postado em 13 de maio de 2020 - 20:32h

0 comentário

Governador do Piauí anuncia ‘lei seca’, proibição da venda de bebida alcoólica, e medidas mais rígidas de combate à Covid-19

Wellington Dias — Foto: TV Clube

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), anunciou no começo da tarde desta quarta-feira (13), em entrevista à TV Clube, novas medidas, mais rígidas, de combate ao coronavírus.

Entre elas, a ‘lei seca’ a partir desta sexta-feira (15), às 0h, proibindo a venda de bebidas alcoólicas em todo o estado. A comercialização fica restrita até o domingo (17).

Além da ‘lei seca’, Wellington Dias citou outras medidas mais rígidas que começam a valer a partir de sexta-feira, dia 15 de maio, e valem até o domingo, dia 17. São elas:

Suspensão do transporte intermunicipal

Novos horários de funcionamento para postos de combustível (ainda não anunciado)

Serviços de borracharias com regras de higiene e funcionamento

Bancos e lotéricas fechados

Obras de construção civil, exceto emergenciais, paradas

Barreiras nas divisas com regra de quarentena. Quem vier de outro estado ao Piauí, terá que ficar em isolamento, acompanhando por órgãos de saúde, e fazer testes de Covid-19.

Wellington explicou que o Piauí não terá, “nesse instante”, o lockdown, o bloqueio total de circulação de pessoas, uma medida mais rígida que o isolamento social. “Queremos uma oportunidade para uma alternativa intermediária, antes de uma medida como essa, do para tudo. Estamos dialogando com os prefeitos”, explicou Dias.

As novas medidas anunciadas nesta quarta, segundo o governador, devem frear o crescimento de Covid-19 no estado. São mais de 1.600 casos confirmados, com uma estimativa de 17 mil infectados, segundo uma pesquisa por amostragem, e 57 mortes.

“O objetivo é que estamos um crescimento do coronavírus, tivemos um isolamento que caiu 10 pontos (percentuais), são 180 mil pessoas a mais transitando. Queremos reduzir, ter menos 200 mil pessoas transitando, e elevar o Piauí para mais de 50% de isolamento social”, comentou Wellington, ao detalhar as novas medidas.

“Isso para ter menos propagação do coronavírus, menos pessoas adoecendo que demandam os hospitais. Chegamos nessa semana a 47% da nossa capacidade ocupada de UTI, acendeu a luz amarela. Não queremos entrar em colapso”, continuou.

Lei seca

Wellington explicou que a venda de bebida no Piauí deve reduzir a quantidade de acidentes, que têm lotado as UTIs dos hospitais. “Bares que vendem (bebida alcoólica), pessoas que se aglomeram, que estavam transitando bêbadas, entupindo as UTIs de saúde. Nesse caso, será tratado como crime. Isso nós vamos coibir”, argumentou o governador, sobre os motivos de decretar a lei seca no período.

Transporte intermunicipal suspenso

Além disso, Wellington também anunciou a suspensão do transporte intermunicipal. O transporte intermunicipal também está proibido a partir de sexta, dia 15 de maio.

“Sexta, sábado e domingo não haverá ônibus saindo de qualquer lugar do Piauí de uma cidade para outra, vamos fazer essa interdição. Somente as ambulâncias, transportes de abastecimento de carga serão permitidos”, explicou Wellington Dias.

Serviços essenciais

Wellington afirmou que na sexta, sábado e domingo haverá uma restrição dos serviços essenciais. “Farmácias, panificadores, supermercados funcionam. Postos de gasolina nós vamos restringir os horários. Borracharias vamos fazer regramento quanto à higienização. Outros serviços param: bancos, loterias e áreas da construção civil, exceto obras emergenciais”, disse.

Há também um estudo sobre a possibilidade de rodízio em algumas cidades de acordo com a placa do veículo. Na terça, quinta e sábado, apenas placas com o final ímpar. Na segunda, quarta e sexta, apenas placas com o final par podem circular.

Decretos determinam distanciamento social

Para evitar a contaminação pelo vírus, o isolamento social e medidas emergenciais foram determinadas por meio de decretos do governo do estado e das prefeituras, como na capital piauiense, para que a população fique em casa e evite ao máximo ir às ruas.

Policiais fazem abordagens nas fronteiras do estado a ônibus e veículos particulares. Escolas, universidades e a maior parte do comércio, assim como serviços públicos, suspenderam as atividades. Os decretos preveem que quem descumprir as regras pode ser penalizado com multa ou até prisão.

*Com G1

Postado em 13 de maio de 2020 - 16:06h

0 comentário

Família abre caixão em velório e cinco são contaminados por Covid-19 na Bahia


Fornecido por IstoÉ Funcionários preparam túmulos para vítimas da COVID-19 no cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus, Brasil – AFP

Cinco pessoas contraíram a Covid-19 após a família decidir abrir o caixão durante o velório na cidade de Cairu, na Bahia. A morte foi registrada na última quinta-feira (7) e, como havia suspeita da doença, o caixão saiu lacrado da Santa Casa de Valença. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

No entanto, a família resolveu abrir o caixão durante o velório, mesmo com recomendações contrárias da secretaria municipal de Saúde de Cairu. O resultado do exame da vítima saiu na segunda-feira (12) e deu positivo para o novo coronavírus.

Após a confirmação, a prefeitura procurou as 12 pessoas que participaram do velório. Em um primeiro momento, os familiares não quiseram aceitar o diagnóstico. Depois, foram convencidos a também fazerem o exame. Cinco deles testaram positivo.

Em nota enviada à Folha, a prefeitura de Cairu informou que a família da vítima recebeu “todas as informações para realização do sepultamento seguro, bem como das normas sanitárias indicadas pelos órgãos responsáveis”.

A prefeitura informou ainda que está monitorando as pessoas próximas à vítima. “Enfermeiros, técnicos de saúde, psicólogos e assistente social da rede municipal de saúde estão oferecendo todo apoio à família e amigos da vítima. A Secretaria de Saúde lamenta pelo falecimento e deseja conforto aos familiares neste momento difícil”, diz a nota.

*msn

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:50h

0 comentário

Coronavírus traz à tona praga de previsões “do fim dos tempos”

No verão de 2008, uma médium idosa que afirmou ter começado a receber premonições aos 5 anos publicou um livro que continha uma previsão ameaçadora.

“Por volta de 2020, uma doença grave do tipo pneumonia se espalhará por todo o mundo, atacando os pulmões e os brônquios e resistindo a todos os tratamentos conhecidos”, escreveu no livro. “Quase mais desconcertante do que a própria doença será o fato de que ela desaparecerá tão rapidamente quanto chegou, atacará novamente dez anos depois e depois desaparecerá completamente.”

A previsão sumiu da memória pública e a autora do livro, Sylvia Browne, morreu em 2013. Mas a pandemia de coronavírus trouxe nova atenção ao livro de Browne, “End of Days: Predictions and Prophecies About the End of the World” (“Fim dos Dias: Previsões e profecias sobre o fim do mundo”, em tradução livre). Recentemente, o livro chegou ao segundo lugar no ranking de não-ficção da Amazon e cópias físicas agora estão sendo vendidas por centenas de dólares.

Autoridades governamentais e de saúde pública divulgaram todo tipo de diretrizes para ajudar as pessoas a se protegerem contra a disseminação do Covid-19. Mas há outro contágio que os especialistas parecem incapazes de parar: a praga dos profetas avisando que o coronavírus é um sinal de que estamos no “fim dos tempos”.

As pandemias têm o poder de fazer as pessoas em pânico esvaziarem tanto suas mentes quanto as prateleiras dos supermercados. Inúmeros avisos do dia do juízo final, como a previsão de Browne, estão se espalhando on-line, misturando o medo de coronavírus com tudo, de paranoia política a um “governo de um mundo único controlado pela ONU”, de incêndios na Austrália a enxames de gafanhotos na África.

O que move esses profetas do Juízo Final

Muitos incluem leituras imprecisas do Livro do Apocalipse. Esses profetas da pandemia costumam termina suas previsões com assinaturas do tipo: “SE VOCÊ NÃO TEM UMA BÍBLIA, COMPRE UMA!”

Talvez não seja de admirar que algumas pessoas estejam estocando armas e munição.

No entanto, alguns estudiosos que ganham vida com religião e profecias dizem que é hora desses profetas e médiuns de redes sociais serem encerrados em uma quarentena imposta. Profetas do apocalipse estão prejudicando a saúde espiritual e psicológica das pessoas, segundo eles.

Eles também estão reivindicando o conhecimento que nem mesmo as figuras mais reverenciadas da religião se atreveram a assumir. Sempre que Ulrich Lehner, teólogo católico da Universidade de Notre Dame, em Indiana, nos EUA, se depara com um pregador de rede social avisando que a COVID-19 significa que o fim do mundo está próximo, ele se sente tentado a tuitar de volta esta resposta: “Mateus 24:36.”

Essa é a passagem quando Jesus diz sobre o fim do mundo: “Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai.”

Lehner arremata: “O próprio Jesus disse que você não sabe a hora, mas alguns autodenominados profetas de hoje parecem conhecer mais do que os anjos ao redor do trono de Deus.” Ele acha que alguns profetas do juízo final estão sendo movidos por outro pecado: o orgulho.

“Talvez também exista um certo orgulho, uma autoconfiança inchada de que ‘eu tenho uma visão especial’, nesses caras que criam pânico em massa”, diz Lehner, autor de “God is Not Nice: Rejecting Pop Culture Theology and Discovering the God Worth Living For” (“Deus não é legal: Rejeitando a teologia da cultura pop e descobrindo o Deus pelo qual vale a pena viver”, em tradução livre). “Se isso não é diabólico, eu não sei o que é”, afirma.

Mas uma pessoa que ligou o COVID-19 às escrituras bíblicas diz que não estava tentando espalhar o medo. Elisha Jone, diretor de jovens de uma igreja no sudeste do Texas, tuitou a captura de tela de um post no Facebook que citava  Crônicas 2, 7:13-15, trecho da Bíblia em que Deus diz a Salomão: “Se eu fechar o céu para que não chova ou mandar os gafanhotos devorarem o país ou sobre o meu povo enviar uma praga, curarei a terra se as pessoas se desviarem de seus maus caminhos.”

Alguém escreveu uma legenda acima da passagem bíblica que dizia: “Incêndios na Austrália – a chuva foi contida. África – praga de gafanhotos. Pandemia mundial – COVID-19.”

Jones disse à CNN que estava tentando avisar as pessoas de que “Jesus disse que essas coisas aconteceriam” e que a Terra está passando por “dores do parto antes da segunda vinda de Jesus”.

“Eu acredito totalmente que isso poderia ser um sinal direto de algo que Deus disse que aconteceria, ou até mesmo um aviso do que está por vir”, diz Jones sobre o COVID-19 e outros eventos mundiais.

A longa história de previsões ruins do dia do juízo final

Qualquer que seja o motivo, as previsões do dia do juízo final não têm um bom histórico.

Vocês se lembram do bug do milênio, ou Y2K? Que tal o recente “Apocalipse Maia”?

Algumas pessoas apontaram o fim do calendário Maia, em 21 de dezembro de 2012, para concluir que também significava o fim do mundo. Eles avisaram sobre ondas gigantes e que a Terra colidiria com outro planeta. As vendas de kits de sobrevivência dispararam e houve relatos de que um homem na China construiu a arca de Noé moderna .

Mas tais previsões ruins não são um fenômeno moderno.

Historiadores dizem que muitos cristãos na Europa do século 17 previram que o mundo terminaria em 1666 porque os números “666” representavam a marca da besta mencionada no livro do Apocalipse da Bíblia. Quando o Grande Incêndio de Londres, que durou quatro dias, começou naquele ano, muitos o viram como um cumprimento da profecia.

Browne, autora e médium, foi constantemente criticada pela imprecisão de suas profecias quando estava viva. Existem inúmeros relatos de que ela fez alegações equivocadas sobre crimes que aumentaram o sofrimento das famílias das vítimas. Ela até previu que morreria de velhice aos 88 anos – morreu aos 77 anos. Até a previsão mais famosa de Browne, sobre uma misteriosa doença respiratória em 2020, parece diferente sob uma luz crítica.

O site de verificação de fatos Snopes lembra que “reivindicar vagas impressões sobre eventos prováveis não é uma previsão”, ao examinar a profecia de Browne. O portal classificou essa previsão como não verdadeira ou falsa, mas como uma “mistura” contendo elementos significativos de verdade e falsidade. “Não está claro se a ‘previsão’ de Browne foi mais um palpite de sorte, considerando que o livro foi escrito após o surto de SARS”, disse Snopes.

Muitos repetem mitos sobre o Apocalipse

Se houvesse um prêmio para a fonte mais incompreendida de más previsões, ele iria para o Livro do Apocalipse. Nenhuma imagem ou linguagem de outro livro penetrou tanto na cultura popular quanto esse trecho da Bíblia. Mesmo as pessoas que nunca leram a Bíblia estão familiarizadas com suas referências: Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, o Dragão Vermelho, 666 e as Sete Pragas do Apocalipse.

A revelação está repleta de imagens tão contagiosas que um teólogo que estudou o Apocalipse o chama de livro “multimídia”, cujas imagens populares operam como uma doença infecciosa.

“Elas se separam do texto maior e circulam como pequenos vírus em nossa cultura, ligando-se a outras coisas, e é aí que eles realmente decolam e se espalham”, diz Timothy Beal, autor de “The Book of Revelation: A Biography” (O Livro do Apocalipse: Uma biografia”, em tradução livre).

Beal diz que muitas pessoas que citam o Apocalipse entendem errado o significado e o simbolismo. “Quase nenhuma das pessoas que falam sobre o Apocalipse realmente se sentou e leu o livro”, nota. “Muitos acreditam que o ‘Arrebatamento’, que é quando se acredita que Jesus retorna no fim dos tempos e todos os cristãos, mortos e vivos, se levantam para encontrá-lo, está em Apocalipse. Não é verdade”, diz Beal.

Não há menção explícita do Arrebatamento no Apocalipse. Há referências ao conceito nas escrituras como Coríntios 1, 15:52, que diz: “… Porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados imperecíveis, e nós seremos mudados”. Mas Beal diz que a teoria do Arrebatamento teve início na obra do século 19 de um teólogo chamado John Nelson Darby.

E o anticristo? Isso não está no Apocalipse?

Não, garante Beal.

O escritor do primeiro livro de João no Novo Testamento adverte sobre os “anticristos” genéricos que negam que Jesus é o Messias. Mas não há figura como o personagem central do filme “A Profecia”, um filho astuto de Satanás com o número 666 estampado em seu corpo.

Então, o que dizer de 666 – não está no Apocalipse?

Sim, mas não se refere a Satanás. Em vez disso, os teólogos dizem que o número faz referência a outra encarnação do mal para os primeiros cristãos: Nero, o imperador romano.

Jones, o diretor de jovens da igreja do Texas, citou Apocalipse 15: 1-3, que adverte sobre “sete anjos com sete pragas”.

“Não acho que publicar coisas dessa natureza seja espalhar o medo”, afirma Jones. “Minha crença é que Deus está chegando em breve e haverá coisas que foram escritas que acontecerão, coisas que podem parecer um pouco assustadoras, mas acho que reafirmam o que Deus disse que aconteceria”.

Por que invocar cenários do dia do juízo final pode ser prejudicial

Invocar passagens bíblicas do “fim dos tempos” pode realmente reforçar a fé de algumas pessoas, dando sentido a eventos que parecem cruéis e arbitrários. Mas as pessoas que evocam as imagens terríveis do Apocalipse em conexão com o COVID-19 podem fazer mais do que errar as escrituras. Eles podem prejudicar a saúde psicológica de outras pessoas, diz Beal.

“Uma aluna minha estava lendo o Apocalipse sentada à beira-mar, adormeceu e acordou no meio de uma tempestade. Ela teve um ataque de pânico absoluto porque se sentia como se estivesse na Bíblia”, diz Beal, professor de religião da Case Western Reserve University, em Ohio.

Beal lembra que as previsões do juízo final da Bíblia também podem levar a outro perigo: não fazer nada. Ele acredita que as pessoas que são invadidas pelo pânico por algo como o Covid-19 podem ignorar outros problemas crônicos que ameaçam a sobrevivência da humanidade, como as mudanças climáticas.

 “Isso pode levar a um chamado à inação”, afirma Beal sobre más interpretações do Apocalipse. “Ou seja, as pessoas dizem que tudo isso está acontecendo por causa do plano de Deus e vai piorar antes que melhore, então não há nada que possamos fazer sobre isso porque é a vontade de Deus”.

No entanto, isso provavelmente não impedirá as pessoas de invocar o Apocalipse quando ocorrer uma pandemia. Durante séculos, o Apocalipse tem sido o livro preferido dos profetas do fim do mundo, alertando sobre a propagação de “pragas do fim dos tempos” e padrões climáticos bizarros.

Um estudioso questionou se o Livro do Apocalipse previu o coronavírus em uma coluna recente do Christian Post, concluindo: “o tremor final será muito mais intenso do que isso”.

Muitos estudiosos da Bíblia, no entanto, dizem que o Livro de Apocalipse não trata especificamente do fim do mundo. Antes, era sobre o fim do mundo de seu autor, um judeu devoto e seguidor de Jesus, que lutava para entender como o império romano invadiu Jerusalém em 70 d.C. e incendiou seu grande templo depois de anular uma revolta judaica.

A destruição do templo de Jerusalém era incompreensível para alguns seguidores de Jesus dos primeiros tempos. Eles esperavam que Jesus voltasse “com poder” e conquistasse Roma antes de inaugurar a nova era. Mas Roma havia conquistado a terra natal de Jesus.

De acordo com Lehner, o teólogo da Universidade de Notre Dame, o Livro de Apocalipse buscava lembrar aos cristãos primitivos que Deus e a justiça acabariam por prevalecer.

“O Livro do Apocalipse não é um livro sobre previsões, mas de consolação”, explica Lehner.

Consolação é o que as pessoas devem espalhar nas mídias sociais agora – não as previsões do dia do juízo final, diz ele. Lehner diz que nos últimos dias ele viu lindas orações e até mensagens engraçadas nas redes sociais que elevaram seu espírito. Ele pede às pessoas que consolem aqueles que podem estar isolados.

Fazer isso pode não ser tão emocionante quanto compartilhar previsões de destruição. Mas antes que você decida entrar em contato com seu Nostradamus interior, compartilhe uma palavra gentil em vez de uma previsão do dia do juízo final.

Você se sentirá melhor no final – e muitos de nós também precisaremos de toda a ajuda possível nos dias difíceis que virão.

*Fonte : cnnbrasil.com.br/

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:40h

0 comentário

Vírus pode ser lançado a 10 metros durante exercícios, diz infectologista

Foto: Reprodução: Universidade de Tecnologia de Eindhoven

Durante os exercícios físicos, uma pessoa com a respiração ofegante consegue expelir partículas de saliva em até 10 metros, aumentando as chances de contágio pelo novo coronavírus. É o que dizem Jamal Suleiman e Jean Gorinchteyn, infectologistas do Hospital Emílio Ribas. Segundo os especialistas, não há garantias de proteção para quem optar por malhar nas academias, agora inseridas na lista de serviços essenciais.

“A doença tem transmissão por contato com gotículas de saliva e os chamados aerossóis, que são partículas mais leves que ficam suspensas no ar”, explica Suleiman. “Em movimento, uma pessoa consegue empurrar essas partículas em uma distância muito superior a dois metros, distanciamento mínimo para evitar a propagação do vírus.”

Os infectologistas se baseiam no estudo aerodinâmico publicado pela Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, e a Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda.

De acordo com as pesquisas, as distâncias mínimas para se manter em movimento são:

– Entre 4 a 5 metros da pessoa que está à frente durante caminhada.

– Pelo menos 10 metros de distância de quem está à sua frente durante uma corrida.

Ainda segundo o estudo, as mesmas partículas podem atingir até 20 metros durante pedaladas, impulsionada pela velocidade da bicicleta.

Riscos do ar-condicionado

Em ambientes fechados e de intensa atividade, os estabelecimentos costumam contar com a instalação do ar-condicionado. No entanto, de acordo com Suleiman, isso também não garante que o ar no ambiente seja renovado.

“A circulação de ar pelo ar-condicionado não funciona da mesma maneira que em ambientes hospitalares, onde o ar é purificado pelo filtro Hepa.”

Hepa é sigla em inglês para High Efficiency Particulate Air, dispositivo que utiliza separação de partículas para interceptar microorganismos no ar.

*R7

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:21h

0 comentário

Tenente Laurentino Cruz tem o primeiro caso da covid-19

No final da manhã desta quarta-feira foi atualizado o boletim epidemiológico do vizinho município de Tenente Laurentino Cruz, no boletim desta quarta-feira o município passa a ter um caso confirmado.

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO: 

O município apresenta os números expressos no material visual. NOTIFICADOS 11; SUSPEITOS 02; DESCARTADOS 07; CONFIRMADOS 01; ÓBITOS 0.

Os casos notificados estão sendo observados no cumprimento da quarentena. Os suspeitos estão sendo acompanhados pela equipe de profissionais e o 1° caso confirmado está sendo tomada todas as providências.

*Via FDamião Noticias

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:09h

0 comentário

Coronavírus: Santana do Matos tem 2 casos confirmados, confira boletim

Em novo boletim divulgado por volta do meio dia desta quarta feira, o numero de notificados suspeitos teve um aumento de mas duas pessoas  passando a ser 16 o numero de suspeitos.

BOLETIM ATUALIZADO

A prefeitura de Santana do Matos notifica mais 2 (dois) novos casos suspeitos de COVID-19 A prefeitura Municipal de Santana do Matos, através da Secretaria Municipal de Saúde, notifica mais dois novos casos suspeitos de coronavírus. Os pacientes deram entrada no Hospital Dr. Clóvis Avelino, foram medicados e orientados a permanecer em isolamento domiciliar por apresentar sintomas leves.

*FDamião Noticias

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:02h

0 comentário

Taxa de isolamento social no RN é de apenas 43%, casos de covid-19 aumentam, e Sesap alerta para risco de falta de respiradores se números não voltarem a 60%

A Secretaria de Estado e Saúde Pública(Sesap), confirmou, em coletiva no fim da manhã desta quarta-feira(13), que a taxa de isolamento social no Rio Grande do Norte é de apenas 43%. Os dados são de levamento realizado nessa terça-feira(12).

“Luta árdua. De fato, vai de alguma forma definir nosso futuro. Se o isolamento não voltar a 60%, correremos risco de não dar conta de pessoas que vão precisar de respiradores”, alertou o médico Petrônio Spninelli, secretário adjunto da Sesap.

No boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira, o Estado registra 332 novos casos de coronavírus, no total de 2.365, quase 8 mil suspeitos, 6.280 descartados e 101 mortes; nas últimas 24 horas, com oito confirmações de óbitos.

*BG

Postado em 13 de maio de 2020 - 13:16h

0 comentário

46 anos do trágico 13 de maio em Currais Novos

No dia 13 de Maio de 1974 um ônibus desgovernado atropelou dezenas de fiéis que participavam da tradicional procissão em honra a Nossa Senhora de Fátima na Avenida do Bairro Paizinho Maria em Currais Novos. No acidente faleceram 25 pessoas e dezenas ficaram feridas.

O pároco de Sant’Ana, o saudoso Monsenhor Ausônio Araújo só não faleceu naquele acidente por que foi puxado pela batina por um fiel católico. Entre os mortos, o Dr. Antônio Othon Filho, o Dr. Nithon, que foi vereador e Intendente de Currais Novos.

Postado em 13 de maio de 2020 - 12:29h

0 comentário