O Comunicador

Paciente é preso por xingar médica do Samu: “Preta nojenta”


Um homem de 43 anos foi preso em flagrante após ameaçar e xingar de forma racista uma médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Iporá, cidade na região oeste de Goiás, no começo da manhã de segunda-feira (19).

Segundo depoimentos na polícia, a médica socorrista Kássia Karoline Barcelos, de 27 anos, foi chamada de “preta nojenta” e ainda ameaçada por Jean Cleber Fernandes da Costa, de 43, na rodoviária do município.

Ela foi até o local, após receber um chamado de que havia um homem desmaiado. Esse homem era Jean, que já havia recuperado a consciência quando a equipe do Samu chegou.

A médica contou em depoimento que quando perguntou o que o paciente estava sentindo, ele respondeu: “Vontade de dar um tiro na sua cara”. Em seguida, ele teria falado:

“Sua preta nojenta e feia”.

Mesmo com a agressão racista, a médica continuou o atendimento de forma profissional, mas a violência não acabou.

De acordo com uma enfermeira do Samu, que estava no momento, Jean Cleber teria puxado o equipamento de medir pressão e chamado a médica socorrista de “preta do cabelo ruim”, enquanto ela falava com a central do serviço de saúde por telefone.

O paciente ainda teria xingado a enfermeira e o condutor do Samu de puta e desgraçados, entre outros xingamentos.

Após ver que os sinais vitais do paciente estavam bem, Kássia Karoline foi até a delegacia e denunciou a agressão racista. Uma equipe da Polícia Civil prendeu Jean Cleber em flagrante.

O homem deve responder por injúria racial e ameaça ao servidor público no exercício de sua função. Ele foi liberado nesta terça-feira (20) para responder ao caso em liberdade.

*Com informações do Metrópoles

Postado em 21 de setembro de 2022 - 13:54h

0 comentário