O Comunicador

Jornalista Renata Capucci revela que tem Parkinson. Saiba sintomas da doença

A jornalista Renata Capucci revelou que foi diagnosticado com Parkinson aos 45 anos. Atualmente, ela tem 49. A doença degenerativa é bem mais comum em idosos, mas um percentual de 10% a 15% dos casos ocorre em pessoas com menos de 50 anos.

Renata contou que descobriu o problema de saúde em 2018, quando participava do programa Popstar, da Rede Globo. O primeiro sintoma foi ter começado a mancar sem explicação e o segundo, um enrijecimento em um dos braços.

“Eu comecei a mancar e as pessoas falavam para mim: ‘Por que você está mancando, Renata?’. E eu falava: ‘Eu não estou mancando’. Eu não percebia que estava mancando. Aí fui fazer fisioterapia, osteopatia e a coisa não mudou. E aí em um dado momento, (…) estava em casa e o meu braço subiu sozinho, enrijecido. E o meu marido que é médico, me levou para um hospital que tinha emergência neurológica e fui diagnosticada com Parkinson. Aquilo caiu como uma bigorna em cima da minha cabeça”, relatou Renata, no podcast do programa Fantástico, da Rede Globo, deste domingo (26/6).

O Parkinson é uma doença neurodegenerativa, caracterizada por alterar os movimentos, provocando tremor, rigidez dos músculos, lentidão nos movimentos e desequilíbrio.

Apesar de as causas ainda não serem totalmente conhecidas, a condição está associado a um desgaste de regiões do cérebro responsáveis pela produção do neurotransmissor dopamina, que tem como uma de suas funções coordenar os movimentos do corpo.

Sintomas
Os sintomas do Parkinson começam de forma gradual e são quase imperceptíveis no início, mas pioram com o tempo. Saiba quais são os principais sintomas da doença:

Tremores: ocorrem somente em repouso. Geralmente, predominam em um lado do corpo, sendo mais presentes nas mãos, braços, pernas ou queixo;

Rigidez dos músculos: os pacientes sentem dificuldades para se movimentar, sentindo o corpo endurecido, o que dificulta atividades como caminhar, abrir os braços e subir ou descer escadas;

Lentidão nos movimentos: a agilidade para fazer movimentos rápidos e amplos fica comprometida, de forma que tarefas simples, como abrir e fechar as mãos, se vestir, escrever ou mastigar se tornam atividades difíceis;

Perda do equilíbrio e dos reflexos: devido à dificuldade de controlar os movimentos, fica difícil se equilibrar e manter a postura, o que aumenta o risco de quedas, além de haver uma menor capacidade de reagir a estímulos.

*Metrópoles

Postado em 27 de junho de 2022 - 11:57h

0 comentário