O Comunicador

Vacina de Oxford é mais eficaz com intervalo maior entre doses, diz estudo


Foto: Justin Tallis/AFP

A vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca tem maior eficácia quando as duas doses são aplicadas com um intervalo de 12 semanas.

É o que aponta estudo (veja aqui) publicado na revista científica britânica The Lancet na sexta-feira (19).

De acordo com a pesquisa, a eficácia do imunizante pode chegar a 82% caso a 2ª dose seja aplicada 12 semanas depois da 1ª. O estudo indica que, como após a 1ª dose, a vacina tem 76% de eficácia, a aplicação da 2ª em 6 semanas ou menos pode reduzir a potência de imunização.

“Isto sugere que o intervalo entre doses pode ser seguramente prolongado para três meses, dada a proteção oferecida por uma única dose, o que permitiria aos países vacinarem uma proporção maior da população mais rapidamente”, afirmaram os autores.

Segundo Andrew Pollard, pesquisador-chefe da equipe de vacinas da Universidade de Oxford, a informação deve influenciar a definição dos cronogramas de imunização dos governos que adquiriram a vacina.

“Quando os fornecimentos são apertados, a decisão de vacinar primeiro mais pessoas com uma única dose pode oferecer imediatamente mais proteção à população, em vez de vacinar metade do número de pessoas com duas doses”, disse.

*Poder 360

Postado em 20 de fevereiro de 2021 - 14:21h

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *