O Comunicador

Votação das contas de “Novinho” pode mudar quadro eleitoral

O processo político-eleitoral deste ano em Cerro Corá poderá sofrer uma reviravolta, vez que na reabertura dos trabalhos legislativos na Câmara Municipal, na noite de sexta-feira (24), foram lidas na ordem do dia, decisões do Tribunal de Contas do Estado (TCE) com pareceres pela reprovação das  contas do ex-prefeito Raimundo Marcelino Borges, do PSDB, relativos anos de 2009 e 2012.

O presidente da Câmara, vereador Rodolfo Guedes (Republicanos), já está encaminhando às contas para apreciação da Comissão de Finanças da  Casa, que é presidida pela vereadora Graça Santos (PSD), a fim de que seja emitido parecer antes de ir à votação pelos nove vereadores em plenário.

Todo o processo legislativo deve levar de 30 a 60 dias e, hoje, a tendência é pelas reprovações das contas de “Novinho”, que assim ficaria impedido de disputar às eleições de 4 de outubro, na tentativa de voltar à exercer o cargo de prefeito pela terceira vez no município.

Hoje, Raimundo Marcelino Borges conta  com o apoio de quatro vereadores- Emanuel Gomes (PP), Valderi Borges, Felipe Silva e Charles Albuquerque, todos do PSDB.

Pra reverter o quadro e tentar aprovar as contas, “Novinho” precisaria de dois votos, a fim de formar a maioria de seis votos,  dois terços dos vereadores, contra a reprovação.

Atualmente, o quadro político impõe uma derrota ao ex-prefeito, vez que o vereador Maciel Freire é pré-candidato a prefeito e tem o apoio dos companheiros de partido, Erinho Albuquerque e Rodolfo Guedes, enquanto do lado da situação tem os vereadores Aldo Maciel (PSD) e Graça Santos apoiam a prefeita Graça Oliveira, que tentará à reeleição.

*cerrocoranews

Postado em 26 de abril de 2020 - 22:27h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *