O Comunicador

Pesquisa revela quais fetiches e fantasias os “infiéis” mais querem praticar fora de casa

Foto: Reprodução/Pinterest/osignificadodastatuagens

Quando os fetiches e fantasias sexuais não podem ser pedidos dentro do casamento, tanto por receio quanto por uma recusa anterior do parceiro, a infidelidade é a maior saída para realizá-los. É isso que afirma uma pesquisa realizada por usuários do Ashley Madison, site de relacionamentos extraconjugais.

De acordo com o site, esses fetiches e fantasias podem melhorar muito a experiência sexual. Alguns deles envolvem sadomasoquismo, a encenação de agir como um estranho total, entre outros.

Dados da pesquisa apontam que 52% dos “infiéis” consideram que explorar sua sexualidade com alguém mais aventureiro do que o cônjuge é um dos principais benefícios de se ter um caso. Outro benefício, citado por 46% dos membros, é conseguir fazer com outras pessoas as fantasias sexuais que seu cônjuge não faria.

Segundo Isabella Mise, diretora de comunicações da Ashley Madison, “nossos membros vêm ao nosso site para explorar um desejo que não podem realizar no casamento”, explica.

“Muitas vezes nos preocupamos que, ao compartilhar nossas fantasias, nosso parceiro nos olhe diferente”, diz a Dra. Tammy Nelson, autora do livro “When You’re the One Who Cheats” (em tradução literal ‘Quando é você quem trai’). “Podemos ter medo de perder o respeito ou o carinho deles. Muitas vezes, as pessoas deixam de correr o risco de se abrir, especialmente quando as fantasias são estranhas”, afirma ela.

Confira a lista de fetiches e fantasias mais procuradas de acordo com a pesquisa:

Top 5 Fetiches/Taras

Sexo Anal – 28%

Teatrinho – 17%

Controle de orgasmo – 15%

Exibicionismo – 11%

Voyeurismo – 10%

Top 5 Fantasias

Sexo com múltiplos parceiros – 30%

Sexo com alguém que conheço (Exemplo babá, amigo(a), colega, etc.) – 26%

Um estranho/caso de uma noite -17%

Paixão/Romance – 14%

Dominância – 5%

Segundo a Dra. Nelson, há três coisas a serem consideradas quando vamos ter uma conversa sobre fetiches e fantasias. “Primeiro, essa fantasia é apenas algo que você está curioso? Informar o seu parceiro que você está curioso sobre uma fantasia pode aliviar a pressão.”

E continua dizendo “Depois, se essa é uma fantasia que realmente te excita, compartilhe o que é mais interessante sobre isso. Seu parceiro pode não ter o que chamo de ‘empatia sexual’ se não entender o que é interessante nela”.

“Em terceiro lugar, se você tem um fetiche que deseja realmente colocar em ação, seja claro. Fazer acontecer é diferente de apenas ter curiosidade sobre isso. Deixe-os saber como, o que e quando”, conclui a autora. Com essas dicas, você já pode propôr esses fetiches e fantasias ao seu próprio parceiro.

*IG

Postado em 14 de fevereiro de 2020 - 12:58h

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *