O Comunicador

A viagem sem volta de Karol até a morte na Paraíba

O relógio marcava 19h53 do último dia 5 de agosto quando uma câmera de segurançaregistrou as últimas imagens com vida de Karolina Oliveira Gomes, de 16 anos. Ela caminhava sozinha à margem da BR-101 em Goianinha onde, perto dali, trinta minutos antes, Josué Cabral dos Santos, de 34 anos, passava de um lado para o outro próximo de uma farmácia. Ele foi preso 26 dias depois, em Custódia, no Sertão de Pernambuco.

Josué Cabral dos Santos no momento da prisão | Foto: Cedida

“Ele [Josué] admite que é a pessoa que aparece nas imagens de câmeras de segurança, e que fez contato com a vítima [Karol, como a moça era conhecida] porque parou para comprar um descongestionante nasal em uma farmácia. Mas diz que foi embora em seguida, e nega envolvimento com o crime”, relatou o delegado Tiago Augusto, da Seccional de Mamanguape, delegacia paraibana responsável pela investigação.

Apesar de negar participação na morte de Karol, as sequências dos fatos envolvendo o homem o ligam diretamente ao crime. Josué dos Santos é caminhoneiro de uma transportadora de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana de Recife (PE). No dia 5 de agosto, ele estava a bordo do caminhão modelo ‘Cargo 815e’, de cor prata, e placa PFD 9872. O veículo passa em frente à farmácia onde ele teria ido comprar o descongestionante às 19h13 e estaciona na lateral de uma academia de musculação na esquina com a drogaria. A movimentação foi registrada por uma câmera de monitoramento. De acordo com o delegado, “o relatório de monitoramento do veículo também identificou essa parada em Goianinha”.

“Em seguida, Josué saiu com destino a Mamanguape (PB) e lá saiu da rodovia federal, a BR-101, entrando na PB-041, onde permaneceu parado por cerca de 10 minutos, por volta das 20h50 e 21h. As coordenadas nos fizeram perceber que se trata, exatamente, do local onde o cadáver da menina foi encontrado”, relatou o delegado. Karol foi achada sem roupa, no mato, no dia seguinte ao sumiço dela.

De acordo com o policial, o caminhão registra deslocamento final, naquela data, na casa de Josué dos Santos, em Ibura, bairro de Recife.

O celular

Na última quinta-feira, foram presos, em Recife, dois homens que ajudaram a Polícia Civil a chegar até Josué. Pela dupla passou o smartphone de Karol. “Verificamos que o celular foi usado no dia seguinte ao encontro do cadáver. Luciano Rodrigues da Silva fez uso do celular por três dias e, em seguida, repassou para Carlos Henrique Carvalho Batista, com quem apreendemos o aparelho”, relatou Tiago Augusto.

*Portal no Ar

Postado em 2 de setembro de 2019 - 22:15h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *