O Comunicador

Em Brasília, ataques ao STF e ao centrão marcam atos pró-Bolsonaro


Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A manifestação em defesa do presidente Jair Bolsonaro em Brasília terminou no início da tarde deste domingo (26) e foi marcada por críticas ao centrão, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Os manifestantes começaram a se concentrar em frente ao Congresso Nacional por volta das 10h. Um outro grupo se reuniu no mesmo horário na área do Museu da República, na Esplanada dos Ministério, e de lá desceu para o Congresso.

Além dos ataques ao centrão, a Maia e ao STF, os manifestantes pediram a aprovação da reforma da Previdência e do projeto de lei de endurecimento de regras penais do ministro Sergio Moro, chamado de pacote anticrime. “Maia & centrão & esquerdistas & MBL boicotam as reformas de crescimento do Brasil”, dizia uma das faixas empunhadas pelos manifestantes.

Outro cartaz chamou os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, do STF, além de Maia e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), de “traíras”.

Em várias ocasiões, os participantes do ato gritaram palavras de ordem e se referiram ao centrão como “bando de ladrão.” “Não às negociatas, não ao centrão, sim ao governo que nós elegemos”, disse outro manifestante, do movimento Limpa Brasil.

Os ministros do Supremo, principalmente Dias Toffoli e Gilmar Mendes, também foram alvos preferenciais dos manifestantes neste domingo. Onze pessoas se fantasiaram de lagostas para ironizar uma licitação da Corte para adquirir alimentos para o ano de 2019 ao custo de cerca de R$ 1 milhão. Um dos itens do edital, pedido pelo cerimonial do STF, era lagosta.

“Vamos almoçar no STF”, gritavam as pessoas fantasiadas, do alto dos carros de som.

*Folhapress

Postado em 26 de maio de 2019 - 18:02h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *