O Comunicador

Indícios dão como certa a participação do mecânico “Diego Santos” na morte de Puã

Diego Santos, morto em decorrência de disparos de arma de fogo no último dia 22 de abril, na RN-118, próximo ao anel viário da BR-427, em Caicó, onde o jovem sofreu pelo menos 9 tiros de pistola cal. P40, admitiu (antes de morrer) para uma testemunha… que atirou, esfaqueou e queimou o corpo de Puã Saldanha. 

Uma testemunha que deverá ser arrolada como peça de inquérito que apura o desaparecimento e morte do comerciante caicoense Irapuã disse à família Saldanha que antes de morrer o Diego Santos admitiu ser o responsável pela execução de Puã, inclusive narrou o fato com riqueza de detalhes, disse que fez porque estava ameaçado. 

Na noite do dia 7 de abril essa mesma testemunha deu carona ao mecânico Diego Santos e este afirmara ser o acusado nº 1 da morte de Puã… “O encontrei próximo à Emparn, o levei pra casa… demonstrava nervosismo, e ao chegar em casa liguei pra ele, isso o estressou, assim veio até mim tecer ameaças que englobava minha família”, contou. 


O mecânico Diego Santos, morto nas mesmas circunstâncias que Puã, admitiu ter uma dívida com seu oponente, e seria esta a motivação para o crime, pois se cansara de ser cobrado sob tom ameaçador… para a testemunha “Diego disse que se sentia inseguro com as ameaças proferidas por Puã, por isso o matou”, contudo outras hipóteses não serão descartadas, tanto quanto outros suspeitos serão ouvidos e/ou investigados. 

Nos autos também consta que Diego foi visto descendo do carro de Puã e abrindo uma porteira que dá acesso ao Sítio Coelho, onde a vítima em questão sofrera tiros, esfaqueamento e ainda teve o corpo envolvido em chamas. No entanto ha quem duvide do envolvimento de Diego… “É um jogo pesado, não sei em quem acredito, porquê o Diego é culpado só após a morte? Indagou um amigo.

Fonte: Jair Sampaio
Postado em 2 de maio de 2015 - 17:48h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *