O Comunicador

Sem médicos legistas, corpos são trazidos de Mossoró para o ITEP de Caicó

Pelos menos seis corpos, que deram entrada no ITEP Regional de Mossoró, foram conduzidos para a sede do órgão em Caicó, região Central do estado. O motivo, segundo o coordenador Francisco Ediberto Rodrigues de Medeiros, foi a falta de médicos legistas na unidade. “Tivemos essa situação de pegar seis corpos no dia em que estamos sem médicos de plantão. 

A solução foi manda-los para Caicó, mesmo lá existindo apenas uma mesa de necropsia”, informou.

Antes de enviá-los a região Central, Ediberto convocou um dos médicos legistas de Mossoró que estava de folga, afim de amenizar o problema, mas o chamado não foi atendido. Os seis corpos da região Oeste se juntaram a um outro já existente no ITEP de Caicó, e serão necropsiado na tarde desta sexta (27). 


Não há previsão de conclusão. Para o restante do mês, Ediberto informa que já está tudo regularizado e não haverá falta de médicos legistas. A ausência de profissionais na Regional de Mossoró vem se arrastando há vários anos. São apenas dois para atender aos 67 municípios da região Oeste, e seis médicos legistas em todo o estado. 

 De acordo com o coordenador, no ato de sua posse, que aconteceu na última quarta-feira (25), o diretor geral do ITEP informou que estava previsto a realização de um concurso, afim de minimizar esses transtornos, entretanto, “não há previsão de quando isso vai acontecer por que o estado está com um problema no limite prudencial”. 

 No início do mês, os médicos e peritos de todo o estado pararam por 24 horas. A reivindicação foi por novas convocações e aumento salarial. “Já são 15 anos sem concursos e 9 anos sem aumento de salário”, informou o perito Otávio Domingos, na época, ao MOSSORÓ HOJE. Por telefone, a assessoria de comunicação do órgão declarou que que o número de peritos atualmente está bem abaixo ao que deveria ter para atender a demanda e que “a própria direção é sensível a isso”.

Fonte: Mossoró hoje

Postado em 27 de março de 2015 - 17:56h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *