O Comunicador

Após suposta traição, mulher mata PM, se suicida e deixa carta

Mais um crime passional foi registrado no Ceará. Na madrugada dessa quarta-feira (26), uma enfermeira, identificada como Maria Janaína Nonato dos Santos, de 32 anos, matou o marido e depois se suicidou em Juazeiro do Norte. Antes, porém, a mulher escreveu uma carta pedindo perdão pelo ato. O homem, identificado como José Ivan Gonçalves Moreira, 40, era policial militar.
O ato aconteceu por volta de 1h, quando o PM dormia. Após pegar o revólver do marido, Janaína desferiu um único tiro contra a cabeça de Ivan, se suicidando em seguida. 
A arma do crime, um revólver calibre 38, foi encontrada com os dois cartuchos deflagrados.
A enfermeira, no entanto, redigiu uma carta para pedir perdão pelo ato. Fica subentendido, porém, que umasuposta traição motivou a ação da mulher. Conforme o tenente-coronel Wellington Alves, comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Janaína havia lido uma carta de uma suposta amante a Ivan.
“Quero pedir perdão a todos pelo ato de desespero. Mas se eu não podia ficar sem ele, ela também não. Perdão B… (filha) eu te amo muito mas estou cansada de ser um estouvo. 
Fui uma péssima mãe, esposa e profissional”, diz a enfermeira. Na carta, Janaína cita a filha do casal, de 12 anos, que permaneceu trancada em um quarto durante a ação.
O documento escrito traz também indicações à mãe da mulher acerca das contas e dos bens do casal, como casa, carro, moto e terrenos. “Eu não ia suportar vê-los sorrir pelas minhas costas”, completa. Junto à carta, a polícia encontrou R$ 3.426 em espécie e 2 celulares.
Todo o material recolhido foi entregue à Delegacia Regional de Juazeiro do Norte, que ficará responsável pelo caso.
 Diário do Nordeste
Click no Encarte para ampliar
Postado em 27 de novembro de 2014 - 18:06h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *