O Comunicador

Homem morreu após reagir a ação policial na região oeste do Rio Grande do Norte

Ex-presidiário reagiu a uma abordagem da Policia de Upanema e morreu baleado com um disparo transfixante na região do abdômen.A ocorrência foi registrada na manhã de segunda-feira, 17 de Novembro de 2014, na cidade de Upanema na Região Oeste do Rio Grande do Norte.

Hamilton Barreto Maia Junior, “Junior Bila” de 29 anos de idade, residia na região do “P” na Rua Felipe Camarão, no bairro Aeroporto em Mossoró, foi morto durante uma abordagem das policias Militar e Civil da cidade de Upanema.

Histórico:

Junior Bila cumpriu pena nos presídios de Mossoró e Caraúbas, acusado de trafico de droga e um crime de homicídio e estava em liberdade há pouco mais de 02 meses. 


Segundo informações, Junior saiu de Mossoró na madrugada de hoje com o objetivo de matar o Sgt Juscelino, comandante do policiamento militar na cidade de Upanema. Hoje pela manhã o Sgt foi avisado por uma vizinha que duas pessoas de motocicleta teriam chamado várias vezes no portão de sua residência durante a madrugada. Momentos depois, por volta de 10 horas, a policia foi chamada para a Rua Coronel Silvestre Veras, no centro da cidade, com dois indivíduos armados, ameaçando as pessoas e fazendo ameaças contra a policia e o próprio Sgt Juscelino. 


 Com a chegada da Policia na Rua, Junior Bila fechou as portas da casa. Quando a policia conseguiu entrar, ele tentou tomar um fuzil de um dos policiais e foi baleado com um disparo transfixante de pistola na região do abdômen e morreu a caminho do hospital local, para onde estava sendo socorrido. Aparentemente Junior estava sozinho em casa e não foi encontrado arma no local.

O Bacharel Claiton Pinho, Delegado de Homicídio de Mossoró e respondendo pela Delegacia Civil de Upanema solicitou a presença da equipe do Instituto Técnico e Cientifico de Policia, Itep de Mossoró, para os procedimentos de pericia na residência onde tudo aconteceu. 


A policia foi informada que na madrugada de hoje, Junior tinha tentado matar um desafeto na cidade. O Perito Criminal, Renildo Marcelino, solicitou a realização de exames técnicos para comprovar se Junior Bila fez uso de arma de fogo. 

Fonte: O Camera
Postado em 18 de novembro de 2014 - 0:04h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *