O Comunicador

Candidatos “mais populares” na disputa pela Câmara Federal estimam gastar R$ 4 milhões cada

Os candidatos “mais lembrados” para a Câmara Federal estão equilibrados até nos gastos com a campanha. Além de ser uma disputa acirrada nos votos, onde 13 fortes lideranças políticas vão brigar pelas oito vagas, 11 candidatos estimam gastar a mesma quantia – R$ 4 milhões. 

Apenas os candidatos Felipe Maia (DEM) e Zenaide Maia (PR), declararam valores diferentes.

No caso do democrata, o ‘mais rico’ no ranking da disputa eleitoral no Rio Grande do Norte, a campanha será um pouco mais cara, Felipe Maia estima um gasto de R$ 6 milhões.


 Já a médica Zenaide, o valor declarado foi de R$ 3 milhões – um milhão a menos.

Na declaração de bens, Felipe Maia ganha disparado dos seus concorrentes, o filho do senador José Agripino tem uma fortuna estimada em mais de R$ 15 milhões.


 O segundo lugar fica com o deputado federal Fábio Faria (PSD) que declarou R$ 5.064.671,50. Na sequência com um patrimônio avaliado em R$ 2 milhões, aparecem na lista do Tribunal Regional Eleitoral os deputados Antônio Jácome (PMN), e o federal Betinho Rosado (PP).

 Com um patrimônio em torno de R$ 1 milhão, a lista dos candidatos a federal traz o pevista Paulo Wagner (R$ 1.304.357,61), o tucano Rogério Marinho (R$ 1.217.570,85), Walter Alves (R$ 1.149.736,31) e Zenaide Maia (R$ 1.455.381,34). 

Os candidatos Rafael Mota (R$ 452.181,26) e Sandra Rosado (R$ 591.882,37) ficam na escala dos R$ 500 mil cada. Já Sávio Hackradt (R$ 240.856,46) e Fafá Rosado, declararam valores bem menores.
Fonte: BG
Postado em 8 de julho de 2014 - 11:29h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *