O Comunicador

Estrada da Produção: Obras da RN 203 estão paralisadas por falta de vontade política

 

A RN 203, mais
conhecida como Estrada da Produção, não foi concluída por falta de
verbas, mas de vontade política. Esta foi a conclusão a que chegaram os
participantes da audiência pública realizada esta manhã (14) na
Assembleia Legislativa (ALRN) por iniciativa do deputado Gustavo
Carvalho (PROS). Os deputados mostraram documentos que comprovam que a
obra foi listada como prioridade em empréstimos solicitados pelo
Executivo e já aprovados pela Casa.
Caravanas de
prefeitos, vereadores e lideranças de municípios das regiões Seridó e
Oeste compareceram ao debate e mencionaram as grandes dificuldades dos
municípios, que estão isolados geograficamente e arcam com dificuldades,
como, por exemplo, o alto custo de escoamento da produção, o perigo de
dirigir na região serrana, além de entraves na hora em que é necessário
transportar pacientes em estado grave para Natal.
Uma das decisões dos
participantes foi a criação de uma comissão integrada pelos deputados e
prefeitos para conversar com representantes do Executivo do RN. Também
será elaborado e encaminhado ao governo um documento informando que os
recursos para a obra já estavam assegurados nos empréstimos que a Casa
aprovou. Esse expediente também irá repudiar o fato do governo não ter
enviado um técnico do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) para dar
explicações sobre a paralisação da obra.

Outro encaminhamento
tirado na audiência é o acionamento coletivo do Ministério Público do RN
em todos os municípios beneficiados pela RN 203, para que o orgão
fiscalize o andamento do serviço, através de extrato de licitação e
cronograma de obras.
Gustavo Carvalho
considera que mesmo sem qualquer justificativa de técnicos do governo, o
debate foi bastante positivo. “Apesar da indignação pela ausência
marcante do governo que está se tornando tradicional em todas as
questões, a audiência foi muito positiva. O governo é ausente, não
escuta e se distancia cada dia mais da sociedade. E espero que a gente
dê uma resposta às regiões do Seridó e do Potengi como o governo não tem
dado”, disse. A deputada federal Fátima Bezerra (PT), além dos
estaduais Márcia Maia (PSB), Fernando Mineiro (PT), Hermano Morais
(PMDB) e Gilson Moura (PRos) também reforçaram o pleito.
Estrada
As obras da RN 203
foram iniciadas no ano de 2010, no final do governo Wilma de Faria.
Foram construídos apenas 11 km da estrada, que irá beneficiar
diretamente 20 municípios, ou mais de 195 mil habitantes. Entre os
municípios beneficiados estão Currais Novos, Tenente Laurentino,Cerro
Corá, São Tomé, Bodó, Parelhas, Santana do Matos, Barcelona, Rui
Barbosa, Lagoa de Velhos, São Pedro, Senador Elói de Souza, São Paulo do
Potengi, Riachuelo, Santa Maria, Bom Jesus.
Quando finalizada, a
Estrada da Produção vai permitir o escoamento de produtos como caju,
castanha, pinha, maracujá, jaca manga, farinha de mandioca, hortaliças,
entre outros, além de potencializar o ecoturismo e o turismo de inverno
que já vem sendo desenvolvidos na Serra de Santana.
O prefeito de São
Paulo do Potengi, José Leonardo Cassimiro de Araújo, Naldinho, disse que
os produtores estão perdendo dinheiro. “Esse longo percurso para escoar
a produção encarece os custos de produtos que poderiam chegar mais
barato na cesta do consumidor. A gente precisa que aconteça esse ano,
pois as estradas também oferecem perigo”, disse.
O deputado Fernando
Mineiro listou os empréstimos nos quais a Estrada da Produção estava
mencionada. “Temos a prova de que não é um problema técnico, porque o
projeto foi feito, tanto é que foi licitado. Também não é orçamentário,
porque esta no orçamento, esteve no passado e está no orçamento desse
governo. Aprovamos três empréstimos e em todos foram usados o argumento
da RN 203. Estou convencido de que não veio ninguém para não ser
desmoralizado com a justificativa falsa de que não há recursos”, disse.

Fonte: BG
Postado em 14 de abril de 2014 - 22:42h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *