O Comunicador

Polícia prende suspeitos de atropelar família e matar menina na Grande Natal

Policiais militares prenderam
dois suspeitos de participação na morte de pai e filho, atropelados em São José
de Mipibu, e de uma menina de seis anos assassinada com tiro na cabeça após
tentativa de assalto em Parnamirim. Os dois casos ocorreram na noite da
terça-feira passada (25).

Identificados como Alexandro Barbosa e Arthur Matheus Costa da Silva, os dois
foram presos em Santo Antônio, a 70 quilômetros de Natal, segundo a polícia na
casa de familiares de Arthur. Esse último também era procurado por suspeita de
participação na morte do agente penitenciário Maxwell André Marcelino, de 44
anos, assassinado no dia 8 de agosto do ano passado.

A PM afirma que a dupla foi presa após assalto no município de Brejinho,
próximo a Santo Antônio, mas antes teria roubado um carro em Natal, usado para
sair da capital rumo aos municípios no Agreste potiguar.

Arthur é réu em quatro processos
por roubo, testemunha em processo de homicídio simples e acusado de praticar
homicídio qualificado. Os casos estão distribuídos nas comarcas de Natal,
Parnamirim e São José de Mipibu.

Com a dupla foram encontrados diversos objetos supostamente roubados em um
sítio em Brejinho e uma pistola 765 à bordo de um carro Renault Sandero branco
com queixa de roubo em Natal.

Os casos
Arthur Matheus Costa da Silva é suspeito de estar no veículo que atropelou
Francisco Vanilson Batista da Silva, 31 anos, junto com seus dois filhos,
Francisco Vitor Batista da Silva e Jamile Vitória Batista da Silva, de 8 e 11
anos, respectivamente. A família foi atropelada pelo carro que capotou durante
fuga após roubo do veículo. Após o acidente, os ocupantes fugiram.

A criança de oito anos morreu no local do atropelamento, enquanto o pai e a
filha foram socorridos ao hospital. Francisco Vanilson não resistiu aos
ferimentos e morreu no dia seguinte, internado no Hospital Walfredo Gurgel.
Jamile Vitória teve escoriações leves em decorrência do acidente.

Na mesma noite, Letícia Marcelino, de seis anos, foi baleada em Parnamirim,
após tentativa de roubo do carro dos pais. A família estava na avenida
Perimetral quando foi abordada por dois homens, que tentaram roubar o veículo.
Na tentativa de fugir, o pai de Letícia acelerou o carro, os suspeitos
dispararam e atingiram a cabeça da menina. Ela foi socorrida, mas morreu no dia
seguinte, no Walfredo Gurgel, onde estava internada em estado gravíssimo.

Arthur é suspeito ainda de envolvimento na morte do agente penitenciário
Maxwell André Marcelino, de 44 anos. Ele foi alvejado em agosto do ano passado,
quando quatro suspeitos à bordo de um Palio branco tentaram resgatar um detento
que havia saído do Presídio Estadual de Parnamirim para consulta médica.

O veículo com suspeitos disparou contra a viatura da escolta penitenciária e
matou Maxwell, além de ferir outro agente.

Fonte: Tribuna do Norte
Postado em 7 de março de 2014 - 18:13h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.