O Comunicador

Wilma e os motivos para disputar o governo

É, parece que a vice-prefeita de
Natal, Wilma de Faria (PSB), tem encontrado motivos para decidir qual será a
sua candidatura na eleição de Outubro. Entre ir para o Senado ou o Governo, a
ex-governadora pode levar em consideração os diversos fatores que sustentam sua
volta ao cargo executivo.
O primeiro deles é a ausência de
adversários competitivos. Há meses para a eleição, Wilma pode se enxergar numa
disputa majoritária praticamente sem oponente, caso sua escolha seja o governo.
Os nomes do vice-governador Robinson Faria (PSD) e do deputado Henrique Alves
(PMDB), surgem nas sondagens de intenção de votos em posição distante da
ex-governadora, que é líder em todos os cenários.
Essa situação favorável não
acontece no Senado, por exemplo, onde Wilma disputaria voto a voto com a
deputada petista Fátima Bezerra – pré-candidata que já afirmou não abrir mão da
disputa senatoria.

E somado ao apelo popular em
torno da líder estadual do PSB e os adversários ainda sem expressão, está a
convocação nacional da legenda, que já se comprometeu em criar as condições
necessárias para possuir um palanque forte e competitivo para o presidenciável
Eduardo Campos.
Condições essas, que incluem uma
boa assessoria de marketing e uma estrutura para campanha de rua, dois itens
que custam caro para qualquer postulante competitivo.
Com tudo isso, se conclui que
para dona Wilma ser novamente candidata ao governo falta só um impulso… O
apoio do PMDB seria uma boa impulsionada. A união com o PT também. Sem isso,
caberá a vice-prefeita buscar o estímulo próprio ou, abrir logo o jogo e
descartar agir por impulso.

Fonte: Robson Pires
Postado em 8 de fevereiro de 2014 - 15:43h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *