O Comunicador

Fernando Bezerra faz exigências para disputar o Governo do Estado, uma delas a de não concorrer com Wilma

O ex-senador Fernando Bezerra (PMDB) admite uma possível candidatura ao Governo do Estado mediante três condições. De acordo com informações repassadas à editoria de Política da GAZETA DO OESTE, durante uma longa conversa com o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, e  o presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves, Bezerra ressaltou, que para retornar à vida pública como postulante à chefia do Poder Executivo norte-rio-grandense precisa ter a garantia que as condições apresentadas sejam realmente cumpridas pelo seu grupo político.

“Ele (Fernando Bezerra) não tinha interesse algum em retornar à vida pública até porque estava bem, cuidando dos seus negócios empresariais, se dedicando à família, mas realmente houve um certo apelo de Henrique (Eduardo Alves) e do ministro Garibaldi (Alves Filho) para que ele, pelo menos, considerasse a possibilidade de vir a se candidatar ao Governo do Estado”, revelou uma fonte ligada ao ex-senador, que acrescentou: “Para aceitar essa possibilidade, o senador (sic), com sua visão empresarial e consciente da real situação da finanças públicas do Rio Grande do Norte disse que só aceitaria uma candidatura diante da garantia que teráliberdade para conduzir o Poder Executivo, apoio político para reduzir o número de Secretarias pela metade e também a garantia que Wilma (de Faria) não será a sua concorrente na disputa eleitoral deste ano”.

Ao propor redução do número de Secretarias de Estado, o engenheiro civil Fernando Bezerra buscaria o equilíbrio nas finanças públicas do Estado. O corte do número de pastas resultaria na redução automática do número de servidores públicos e por consequência diminuição da folha de pessoal.

Em relação à autonomia para administrar o Poder Executivo do Rio Grande do Norte, de acordo com a fonte, a proposta apresentada tem por finalidade evitar a interferência política nas questões administrativas. “As medidas de contenção de despesa no serviço público são, em geral, vistas com antipatia pela população, neste aspecto. Fernando Bezerra sabe que seria necessário ter garantias relacionadas com a autonomia para conseguir implementar as medidas necessárias para colocar ordem nas finanças do Estado, sem risco de ter que desfazê-las por questões políticas”, disse a fonte.

No que se refere à vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), de acordo com a fonte ligada ao ex-senador, as relações de amizade que ele possui com a ex-governadora faz com que ele evite confrontá-la em um processo eleitoral. Na conversa com os líderes peemedebistas, Bezerra ressaltou a importância da presidente regional do Partido Socialista Brasileiro fazer parte do mesmo arco de aliança dos peemedebistas no pleito de outubro.

“Não existem condições de Fernando Bezerra vir a disputar o Governo contra dona Wilma. Eles são amigos pessoais e, dessa forma, ele colocou para Garibaldi e Henrique que é necessária a presença de Wilma no palanque do PMDB até porque hoje está muito bem avaliada junto à população em todas as sondagens realizadas”, observou a fonte.
 
Fonte: Gazeta do Oeste
Postado em 7 de janeiro de 2014 - 17:48h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.