O Comunicador

Deputados interrompem recesso para tentar aprovar emendas que beneficiam suas reeleições

Eles peregrinam entre
os ministérios com o objetivo de aprovar emendas e conseguir verbas para obras
que possam render votos em 2014.
Preocupados com a própria
reeleição em 2014, deputados federais interromperam o recesso de fim de ano
para fazer uma romaria por ministérios numa tentativa de agilizar a liberação
de emendas. Dezenas de deputados e líderes partidários estão em Brasília para,
num último esforço, tentar obter do governo federal garantias de obras em suas
bases eleitorais. As emendas que não forem empenhadas até o dia 31 de dezembro
deste ano serão automaticamente canceladas.

O acordo fechado entre governo
federal e parlamentares prevê o envio de 10 milhões de reais para cada Estado
em 2014, além de um “bônus” de 2 milhões de reais para os integrantes
da Comissão Mista de Orçamento (CMO) e líderes partidários. Deputados dizem que
nem tudo que foi prometido foi cumprido.
“Temos que ficar aqui
cuidando porque se não cancela tudo e os ministérios redirecionam a verba para
onde querem”, diz o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). “Até agora a
viagem foi perdida. Tem muito problema e nem sinal de fumaça”, reclama o líder
do PP, Eduardo da Fonte (PE).

O governo diz que o Ministério do
Planejamento já deu a autorização para os empenhos e que os problemas
existentes têm origem na deficiência dos projetos apresentados ou inadimplência
das prefeituras. Dentro do Executivo há quem admita, porém, que em algumas
pastas falta corpo técnico capaz de analisar os projetos em tempo hábil. As
áreas com mais emendas e que teriam mais pendências são Saúde, Educação e
Integração Nacional, mas há problemas também em pastas com orçamento menor,
como Esporte, Defesa e Direitos Humanos.

Fonte: Veja

Postado em 27 de dezembro de 2013 - 13:40h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.