O Comunicador

Direção vai investigar se apagão em Alcaçuz foi provocado propositalmente

Uma sindicância vai ser instalada no
Presídio Estadual de Alcaçuz para apurar se apagão ocorrido na noite
dessa segunda-feira, na unidade prisional foi provocado. Por volta das
20h30 o sistema de energia foi interrompido e só foi reestabelecido
quase uma hora depois. Nenhum fuga foi registrada.

De acordo com
a diretora do presídio, Dinorá Simas, toda a contagem foi feita para
verificar se algum preso havia aproveitado o escuro para escapar. Uma
equipe da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) esteve no
local para religar a rede e constaram que o apagão foi provocado de
maneira proposital. Uma das chaves de energia havia sido danificada para
causar um curto-circuito na rede.

Segundo Dinorá Simas, o
coordenador do sistema prisional, major Castelo Branco foi comunicado
ofiacielmente sobre o caso na manhã desta terça-feira. Uma sindicância
deverá ser realizada para apurara a responsabilidade pelo ato. “Vamos
investigar e punir os responsáveis”, disse. O presídio de Alcaçuz abriga
atualmente 782 presos, divididos em quatro pavilhões. São três
pavilhões com 15 celas cada um e outro com 14.

Fonte: Portal no Ar


Postado em 26 de dezembro de 2013 - 0:33h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *