O Comunicador

Empresário filma corredores lotados de pacientes no maior hospital do RN

Os corredores lotados do Hospital
Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, revoltaram o familiar de um dos pacientes
da maior unidade hospitalar do Rio Grande do Norte, que gravou um vídeo
mostrando a situação no último sábado (30). O empresário Amarilto da Silva, de
38 anos, conta casos de pacientes que estão a até 30 dias esperando por
cirurgia ortopédica.
Os corredores lotados do Hospital
Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, revoltaram o familiar de um dos pacientes
da maior unidade hospitalar do Rio Grande do Norte, que gravou um vídeo
mostrando a situação no último sábado (30). O empresário Amarilto da Silva, de
38 anos, conta casos de pacientes que estão a até 30 dias esperando por
cirurgia ortopédica.
Durante o vídeo, Amarilto mostra
os pacientes esperando por atendimento nos corredores da unidade. “Tem um homem
com fratura exposta que está lá faz 30 dias e nada”, disse ao G1 nesta
segunda-feira (2). “A situação me revoltou”, contou. Amarilto explicou que seu
familiar sofreu uma queda e machucou a boca. “A gente teve que esperar
bastante. Só foi atendido porque insisti”, colocou.
O hospital reconheceu que a
demanda de pacientes vindos tanto da capital quanto do interior fez com que
pessoas fossem acomodadas nos corredores. A expectativa é que o mutirão de
cirurgias iniciado na última quinta-feira (28) acabe com a fila de espera em 90
dias. De acordo com a assessoria de comunicação do Walfredo Gurgel, até agora
foram realizados 52 procedimentos, sendo 27 de pacientes que aguardavam no
maior hospital do RN e 25 no Deoclécio Marques, em Parnamirim.
A Secretaria Estadual de Saúde
explica que no momento da assinatura do contrato para o mutirão, havia 233
pacientes a espera das cirurgias ortopédicas no estado. Somente no Hospital
Walfredo Gurgel 69 pessoas estavam nesta situação. As pessoas estão sendo
transferidas para hospitais da rede privada.
Ainda segundo a assessoria de
comunicação da Sesap, as cirurgias deveriam estar sendo pagas pela Secretaria
Municipal de Saúde (SMS). “A iniciativa partiu da Sesap que, pela segunda
vez este ano, adota a medida diante das dificuldades, por parte do município de
Natal, em dar a assistência aos pacientes que recebem o primeiro atendimento nas
portas de urgência e emergência do estado e que deveriam ter suas cirurgias
viabilizadas pela Secretaria Municipal de Natal através dos hospitais
conveniados”, diz
.
Do G1/RN

Postado em 3 de dezembro de 2013 - 22:06h

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *