O Comunicador

Anvisa proíbe uso e comercialização do Diurisa

A Agência Nacional de Vigilância
Sanitária (ANVISA) suspendeu a distribuição, comércio e uso, em todo o país –
de todos os lotes dentro do prazo de validade – do medicamento Diurisa
(Cloridrato de Amilorida + Furosemida), fabricado pela empresa Eurofarma
Laboratórios, localizada em Itapevi (SP). 

O remédio era um diurético usado
para reduzir inchaços de origem circulatória, renal ou hepática.

Pelo resultado de apuração feita
em dezembro, a ANVISA identificou que a empresa “alterou excipientes, a
embalagem primária e a forma farmacêutica do medicamento sem a devida
autorização”.

A resolução publicada no Diário
Oficial da União também determina o recolhimento de todo o estoque existente no
mercado dos lotes do remédio que estão dentro de prazo de validade.

Outras suspensões

A ANVISA ainda suspendeu nesta
terça-feira vários outros produtos. A lista de suspensão inclui: todos os
produtos para saúde e cosméticos das marcas Mei-Cha e Fujii, incluindo os
comercializados pela empresa Kaecha Cosmética, situada em São Paulo (SP), por
não estarem regularizados pela Agência; o lote 1403 data de validade
03/04/2015, do gel modelador capilar fixação forte Vita Capili, fabricado pela
empresa Muriel do Brasil Indústria de Cosméticos, por apresentar desvio de
qualidade; todos os produtos sob vigilância sanitária fabricados pela empresa
Iracema Batista Regis ME, com o nome fantasia de Proclean Cleaning Products,
localizada em Barreiras (BA), por não ter autorização de funcionamento da ANVISA;
todos os produtos fabricados pela empresa IND Diagnostics INC, localizada no
Canadá, por comercializar produtos sem registro no seu país sede e por
apresentar falhas no seu sistema de gerenciamento e práticas de distribuição de
produtos médicos; o produto Creme Alisante – Salon Line Professional, registro
nº. 2.2959.0155.001-09, lote 0076661, data de validade 11/2014, fabricado por
Devintex Cosméticos, por desvio de qualidade; todos os produtos nominais à
empresa Laborkit Indústria e Comércio, “uma vez que estes foram importados
irregularmente, haja vista seus registros serem tidos como de produção
nacional”.

Outra resolução da ANVISA informa
que a empresa Essencialle Ind. e Com. de Cosméticos recolherão,
voluntariamente, o produto Active Hair, Marca Concept Profissional, lote nº
100299310. O recolhimento se dará porque foi detectada a presença irregular de
ácido acético

Na formulação do produto. Com a
decisão, fica suspensa a distribuição, comércio e uso do produto.
Do UOL
Postado em 27 de fevereiro de 2013 - 0:11h

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *