19 de janeiro de 2019

'Meu sonho era usar batom', diz idosa após cirurgia para corrigir lábio leporino no RN

Dona Maria do Socorro tem 69 anos de idade e até os 67 conviveu com uma condição que a incomodava: o lábio leporino. Há três anos ela fez a cirurgia para de correção nos lábios e neste mês é personagem de uma exposição fotográfica que mostra o que mudou em sua vida depois do procedimento médico. “Meu sonho era usar batom”, conta.  

Maria do Socorro de Medeiros foi atendida em 2016 pela Operação Sorriso, organização médica voluntária que realiza missões pelo país para fazer cirurgias em pessoas com deformidades faciais – lábio leporino e fenda palatina – que não têm dinheiro para arcar com os custos. 

O lábio leporino e a fenda palatina são fissuras no lábio e no céu da boca, respectivamente, presentes desde o nascimento. As malformações acontecem pela não junção do lado direito com o lado esquerdo do lábio ou do palato durante a gestação.  

As implicações da malformação congênita não são somente de ordem estética. Alterações na dentição, distúrbios na fala, audição, respiratórios e até má nutrição podem ser associadas a essas fissuras.  

Dona Maria do Socorro mora em Umarizal, região Oeste potiguar, e quando soube que os médicos voluntários da Operação Sorriso estariam em Mossoró, vizinho à sua cidade, foi até lá para conseguir o atendimento. 

Vaidosa desde a juventude, ela lembra que sempre foi seu desejo poder passar um batom nos lábios, quando se arrumava para sair de casa. Entre todos, prefere os de cor vermelha.
 

Adriana de Medeiros, filha de Maria do Socorro, conta que a mãe, agora, sempre anda com um batom por perto. “Usa bastante. Quando vai sair para qualquer lugar, passa o batom. Ela fica muito feliz por poder passar nos lábios”. Apesar disso, a filha diz que a Dona Maria nunca ligou muito para os lábios repartidos pela malformação, porém o batom era uma vontade que queria realizar. “Aumentou muito a autoestima dela depois que fez a cirurgia”, diz.  

Maria do Socorro também teve melhora na alimentação. Era mais difícil comer antes do procedimento médico. Na fala, a diferença foi pouca, segundo Adriana. Mas a aposentada já comemora os resultados estéticos e afirma que está feliz. “Está ótimo assim”, comemora. 

Exposição Fotográfica 
No ano passado, a agricultora aposentada foi convidada pela fotógrafa Laine Paiva para ser a personagem do ensaio que ela estava produzindo para a conclusão do curso de Fotografia. “A ideia é mostrar o novo cotidiano dela, o que mudou depois da cirurgia”, explica Laine Paiva, que também é voluntária na Operação Sorriso, fotografando as ações do projeto. 

A exposição “Fendas – Depois das lágrimas, o sorriso” foi montada no Memorial da Resistência, em Mossoró, e fica aberta ao público até o dia 28 de janeiro. A Operação Sorriso está na cidade até este sábado (19).

*G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário