22 de dezembro de 2018

'Seremos firmes na cobrança de investigação séria e profunda', diz governadora eleita do RN após morte de PM na Grande Natal

A governadora eleita do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT) lamentou a morte do soldado da Polícia Militar João Maria Figueiredo da Silva, de 36 anos, assassinado a tiros no final da tarde desta sexta-feira (21) em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. Amigo pessoal de Fátima, o PM atuou na segurança dela durante a campanha e faria parte da equipe quando ela assumisse o comando do estado a partir de janeiro. 

“Queria bem a ele como um irmão”, disse Fátima. Fátima gravou um áudio, que foi enviado ao G1 pelo presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM do Rio Grande do Norte, Roberto Campos. Nele, a governadora eleita também cobra “uma investigação séria e profunda, para que os responsáveis sejam identificados e punidos com os rigores da lei”. Ainda na mensagem, Fátima chama o policial de cabo, mas Figueiredo era soldado. A patente de cabo deveria ser alcançada no próximo ano, quando fosse promovido. 

Figueiredo ingressou na Polícia Militar em 2009 e atualmente era lotado no pelotão da PM em Taipu. Ele foi o 26º agente de segurança pública morto este ano no estado. O Disque-Denúncia da Secretaria de Segurança Pública atende 24 horas pelo 181. A ligação é gratuita. “Meus amigos, minhas amigas, momento de muita dor diante do assassinato brutal do cabo Figueiredo, um militante idealista, respeitado, um companheiro, um amigo muito querido. Queria bem a ele como um irmão. Mas, sigamos firmes, juntos, unidos na nossa jornada, sonhando os sonhos dele e lutando para realizá-los, que é um mundo de paz, de solidariedade e justiça social. 

Seremos firmes na cobrança de investigação séria e profunda, para que os responsáveis sejam identificados e punidos com os rigores da lei. À família e aos amigos e amigas de Figueiredo, todo o nosso sentimento de solidariedade. Saudades sempre. Figueiredo presente”. Pesar Em nota, o comando da PM lamentou a morte do policial, e disse que, "apesar do sentimento de luto, os integrantes da Polícia Militar não estão medindo esforços para levar os responsáveis à Justiça". 

  *Fonte: G1/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário