7 de setembro de 2018

Jungmann diz que ainda não se pode descartar motivação política

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta sexta-feira (7) que ainda não é possível descartar motivação política no ataque ao candidato à sucessão presidencial, Jair Bolsonaro (PSL). 

Ele lembrou que o episódio é muito recente e que a Polícia Federal trabalha com a hipótese de que Adélio Bispo tenha atuado sozinho. “O que se trabalha basicamente é um ato isolado daquilo que se pode chamar de lobo solitário”, disse. 

Ele ressaltou, no entanto, que existe no âmbito da Polícia Civil uma investigação sobre mais dois suspeitos.”Existem outros que estariam envolvidos, mas, que até agora, não têm uma comprovação fatica, embora continuem sob suspeita”, disse. 

 *Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário