31 de agosto de 2018

Mulheres de 18 anos são mais desejadas em aplicativos de relacionamento; homens aos 50 são favoritos

Expectativas e faixa etária do “pretendente ideal” são bem diferentes para homens e mulheres de acordo com o estudo (Foto: Getty Images) 

 Publicado no início do mês na revista científica Science Advances, o estudo “Aspirational pursuit of mates in online dating markets” (algo como procura por parceiros no mercado de namoro online) acompanhou por um mês as trocas de mensagens de cerca de 200 mil usuários em um “aplicativo de relacionamentos gratuito e muito famoso”. O objetivo era medir a “desejabilidade” dos usuários. Ou seja, entender qual o perfil mais desejável de parceiro com base nas características de cada usuário e na quantidade de mensagens que cada um deles recebeu. 

O resultado surpreende. De acordo com os dados, os pesquisadores apontaram que homens atingem o seu pico de ‘desejabilidade” aos 50 anos de idade. A atratividade também aumenta quanto maior for a escolaridade do pretendente. 

Já para as mulheres, o resultado é bem diferente. O pico delas é aos 18 anos, e essa taxa de desejabilidade cai a partir daí, ou seja, dos 19 anos para frente, elas se tornam cada vez menos desejáveis. De maneira oposta aos homens, quanto maior a escolaridade delas, menos interessantes elas são aos olhos masculinos, segundo o estudo. 

Homens querem beleza, mulheres algo a mais 

Na análise do psicólogo Rodrigo Potechi, a desejabilidade feminina é relacionado à beleza externa da mulher. “Essa questão das mulheres alcançarem o pico de desejabilidade aos 18 anos tem muito mais a ver com o desejo, com a fantasia do homem de ‘possuir’ uma mulher virgem, ser o primeiro homem para ela, além de ser uma idade em que, em teoria, a mulher está no ápice de seu vigor e forma física”, explica ele.

Ainda que mulheres tenham desejos sexuais na mesma intensidade e frequência que homens, Potechi aponta que as prioridades para elas são diferentes. “A mulher busca um homem que possa ser seu companheiro e tenha uma vida estável”, diz ele, o que pode justificar a predileção das mulheres por homens mais velhos e mais escolarizados. 

Em resumo, o psicólogo acredita que a pesquisa mostra um perfil conservador de usuários, com valores mais antiquados. Para o futuro, é provável que os resultados de uma pesquisa deste tipo sejam mais diversos, considerando o fortalecimento crescente do movimento feminista e a maior difusão das redes sociais no campo afetivo. 

A tecnologia mudou tudo em nossas vidas, e vai mudar ainda mais. Estamos descobrindo novas formas de nos relacionar, e os moldes antigos de relacionamento podem não mais servir para o futuro. É uma evolução constante”, finaliza. 

*UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário