30 de julho de 2018

Repórter Jota Gomes sofre assalto, escapa, mas perdeu tudo

Estou aqui chocado com o relato que acabo de ouvir do meu antigo companheiro de trabalho, nos anos 80 e 90 na TV Ponta Negra, Jota Gomes. Nada menos que seis homens invadiram sua casa na Praia de Rio do Fogo e fizeram um rapa geral além de tê-lo agredido e à sua esposa. 

Num confronto com os bandidos, um policial levou um tiro na cabeça e se encontra no Hospital Walfredo Gurgel entre a vida e a morte. Infelizmente não sei como se edita áudio aqui no blog para que todos possam ouvir, da praia voz do amigo Jota Gomes o relato dos momentos de terror que teve se enfrentar. Mas, vou procurar transcrever o que ele falou e postar aqui. Ele disse que perdeu tudo.

DEGRAVAÇÃO 

Transcrevo as partes mais importantes do áudio que o próprio Jota Gomes postou no whats app: - Foram momentos de terror. De pavor. Levei coronhadas. Desmaiei, minha mulher sofreu muitas agressões psicológicas. Seis homens dentro de casa, dois encapuzados. Levaram meu carro. Foi recuperado na manhã de sábado, lá depois da Escola de Jundiaí, pra quem já vai pra Serrinha, pra´queles lado de Bom Jesus. 

Num matagal. Muito danificado. E eu tou começando tudo do zero. Perdi tudo. Jota Gomes prossegue o seu relato: - Não perdi a vida nem minha mulher, mas o resto. Até o estímulo. Eu que tanto amei a cidade de Rio do Fogo, a praia de Zumbi... Passei... mais de 30 anos (como repórter)... Sabia do sofrimento das pessoas com quem eu fazia reportagem, mas não sabia que a dor era tão grande como a que a gente sofreu e sentiu. 

Sabe o que é isso? Um Estado desgovernado, um país entregue a bandidos, onde só quem tem o poder de sonhar e de realizar sonhos, são os bandidos. O cidadão de bem, a cidadã de bem, não têm mais essa condição. Jota Gomes continua o seu relato: - Meu sonho de ter uma casa, no mínimo, razoável, confortável, para receber familiares e amigos foi por água abaixo. Não tou aqui chorando bens materiais, não. É uma vida inteira. Um sonho. Estou com 61 anos. Lutei muito na minha vida pra ter uma vida tranquila. Quero agradecer aqui ao sargento Sales, Galdino, Cabo Cruz, Roger... e todos os outros que se empenharam muito. 

Ao Cabo Nilson, que levou um tiro na cabeça e está no Walfredo Gurgel. Não sei qual o estado de saúde dele. A Marcão, da Polícia Civil, a Gonzaguinha, da Polícia Civil, que me atenderam muito bem na DEPROV. Meus filhos e minha mulher que estiveram comigo... minha mulher agora é que está passando pelo problema mais sério

*Jornal do RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário