6 de julho de 2018

João Câmara registra 51 tremores de terra nesta sexta, segundo LabSis

No intervalo de 0h35 às 9h desta sexta-feira (6) foram registrados 51 tremores de terra na cidade de João Câmara, segundo Eduardo Alexandre, técnico em sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Labsis/UFRN). Os tremores não tiveram grandes magnitudes. De acordo com o Labsis, o maior tremor aconteceu exatamente às 0h35 com 2.8 na escala Richter, enquanto o segundo foi registrado às 2h06 com 2.6 na escala. 

Segundo o especialista, abalos como esses são frequentes na cidade de João Câmara, localizada na Região Agreste. Os tremores acontecidos nesta madrugada não apresentaram danos devido às magnitudes que não foram tão altas de acordo com a escala.

Além de João Câmara, outras cidades que estão localizadas em um raio de aproximadamente 35 quilômetros sentiram parte dos abalos sísmicos com maiores potências, às 0h35 e 2h06 respectivamente. Os municípios atingidos foram Poço Branco, Parazinho, Taipu e Bento Fernandes. 

Esses eventos seguidos desta madrugada foram os primeiros registros neste ano. O professor Eduardo Alexandre explica que não há como prever quando outros tremores irão acontecer porque são eventos da natureza. 

O maior tremor registrado Na década de 1980 o município de João Câmara sofreu a mais longa e agressiva série de abalos sísmicos conhecida no País. A terra tremeu intermitentemente por cerca de sete anos e nesse período foram registrados mais de 50 mil eventos, centenas deles perceptíveis aos moradores. Os tremores danificaram milhares de construções, desabrigaram mais de 20 mil pessoas e provocaram o êxodo para os municípios vizinhos. 

Em 30 de novembro de 1986, a cidade registrou um tremor de 5.2 na escala Richter. Logo após o evento, centenas de moradores deixaram a cidade com medo de um segundo tremor tão intenso quanto. De acordo com os registros do Laboratório de Sismologia da UFRN, os tremores danificaram milhares de construções e desabrigaram mais de 10 mil famílias.

*OP9

Nenhum comentário:

Postar um comentário