3 de julho de 2018

Chuvas devem voltar ao RN a partir do fim de semana, prevê Emparn

O Rio Grande do Norte vem registrando pouca ou nenhuma chuva nos últimos dias. No entanto, essa condição deve mudar a partir do próximo final de semana. A previsão é da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn). 

De acordo com o meteorologista do órgão, Gilmar Bistrot, o sétimo mês do ano deve ter precipitação melhor do que o anterior. A estimativa é de que a região Leste seja a mais atingida. 

Nós observamos que a partir do dia 6, nós teremos uma regularidade das chuvas e com acumulado melhor, principalmente na região Leste, se estendendo um pouco para o Agreste”, disse. 

Segundo Bistrot, os próximos dois meses devem apresentar condições semelhantes às registradas em 2017. “A previsão é semelhante para o que aconteceu no ano passado. tivemos um mês de junho muito fraco, com os meses de julho e agosto com situações melhores”, apontou. 

Período seco 

Bistrot alertou ainda para o fim do período com chuvas no Rio Grande do Norte. Segundo ele, a partir de agosto a tendência é de que as precipitações cessem. Essa estação seca deve se estender até novembro. 

A falta de chuva é explicada pela ação dos ventos. Em agosto, é iniciada a estação com ventos mais fortes nas áreas litorâneas, o que não permite a formação de chuvas. 

A partir de agosto, quando começa a estação dos ventos aqui no litoral, a tendência é diminuir a quantidade chuvas em todo o estado, finalizando a estação mais seca em meados de novembro”, explicou. 

Análise de junho A 

análise preliminar da Emparn mostrou que as chuvas no mês de junho foram dentro da normalidade em Natal e região litorânea. “No litoral, em alguns dias, na primeira quinzena, o tempo possibilitou um acumulado de 250 milímetros”, contou Bistrot. 

No entanto, na região Agreste, o acumulado não possibilitou uma recarga nos reservatórios que abastecem a área do Trairi. “No Agreste, ficaram abaixo do normal, não atingiram o que a gente previu e comprometeu a recuperação dos reservatórios do Trairi, que são utilizados no abastecimento da região. Foi muito fraco”, completou. 

Em outras áreas do interior potiguar, o meteorologista frisou que a ocorrência de precipitações é escassa e, por isso, foram registradas chuvas dentro da normalidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário