27 de junho de 2018

'Meu filho não era bandido', diz mãe de homem morto em operação da polícia em Natal

Os pais de Dennisson Francis de Aquino afirmam que vão cobrar a apuração da morte dele. O jovem de 29 anos de idade e morto durante uma operação da polícia na Comunidade do Mosquito, Zona Oeste de Natal, nesta terça-feira (26). “Meu filho não era bandido”, declarou Edna de Aquino, mãe de Dennisson. Segundo ela, o filho saiu de casa na sexta-feira da semana passada, dia 22, e desde então não o encontrava. 

Edna contou que Denisson Francis era dependente químico, mas reforçou que não tinha passagem pela polícia. O G1 procurou no site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte e não consta nenhum processo contra o rapaz disponível na plataforma. Edna de Aquino afirma que pessoas que estavam no local disseram a ela que Denisson estava deitado em uma rede quando foi atingido pelos disparos. De acordo com a Divisão Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deicor), Dennisson Francis de Aquino trocou tiros com a polícia e foi baleado. 

Ele foi socorrido ao hospital, porém não resistiu aos ferimentos e morreu. O tiroteio aconteceu durante a Operação Pente Fino I, que envolveu homens da Polícia Civil, da Polícia Militar e da Força Nacional. Na ação, foi apreendida uma lista com nomes de integrantes de uma facção criminosa que tem atuação no Rio Grande do Norte e em outros estados do país, o Primeiro Comando da Capital (PCC). 

O trabalho resultou também na apreensão de drogas e armas, além da prisão de duas pessoas. “Nós vamos procurar a Justiça”, adianta Wilton Aquino, pai de Dennisson. A família vai cobrar a realização do exame residuográfico, que vai dizer se o jovem estava ou não portando uma arma quando morreu. O laudo determina se há ou não resíduo de pólvora nas mãos do examinado. Questionada sobre as declarações dos parentes de Dennisson Francis, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), disse através de nota que “todos os detalhes sobre os indivíduos detidos ou neutralizados na operação serão esclarecidos durante o inquérito policial”. 

*G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário