9 de março de 2018

MP pede aumento de pena para empresário condenado por matar fisiculturista em Natal

Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) entrou com um recurso nesta sexta-feira (9), para que a pena aplicada ao empresário paulista Alexandre Furtado Paes, pelo assassinato da mulher dele, a fisiculturista Fabiana Caggiano, seja revista e aumentada. Em julgamento na quarta (7) no 2º Tribunal do Júri Popular de Natal, Alexandre foi condenado a 13 anos de prisão em regime fechado. 

De acordo com o promotor de Justiça Augusto Flávio Azevedo, a pena estabelecida não é adequada porque, embora Alexandre Furtado não tenha antecedentes negativos, a “sua culpabilidade é total, própria e absoluta”, disse ele. O promotor frisa no recurso que o empresário paulista não sofreu agressão física, tem “personalidade fria, calculada e cruel” e que os motivos apresentados por ele são desproporcionais para um assassinato. 

“Diante da gravidade do crime cometido, a pena não representa uma expressão de justiça”, afirmou. Preso Dono de uma academia de musculação na cidade de Osasco, em São Paulo, Alexandre Paes passou mais de 2 anos sendo procurado pela polícia. Ele foi encontrado e preso no dia 30 de novembro de 2015 em Ibiúna, na Grande São Paulo. Depois, foi trazido ao RN. Atualmente, está detido no Centro de Detenção Provisória de Parnamirim, na região metropolitana de Natal.

*G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário