17 de fevereiro de 2018

Como a intervenção no Rio pode ajudar o Rio Grande do Norte

A intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro não ficará circunscrita aos limites fluminenses. A repercussão do caso é nacional e pode ter implicações favoráveis para o Rio Grande do Norte. 

É bem improvável que a intervenção se replique a outras unidades da federação, haja vista a dureza do decreto intervencionista ter sido concebida justamente para desestimular governadores de pedir ajuda nesse sentido. Entretanto, os efeitos colaterais tendem a ser benéficos a curto e médio prazos. Com a impossibilidade da reforma da previdência ser votada em face do decreto de intervenção, a pauta do Congresso Nacional passa a ser prioritariamente segurança pública. É nesse ponto que podemos ser favorecidos. 

Com o assunto alçado à pauta de primeira ordem, o Estado, através de sua bancada e governador, terá mais chances de verem concretizadas as gestões feitas sobre os pedidos de segurança. A partir de agora, o Congresso Nacional não passará apenas a tratar da intervenção no Rio, mas a analisar também assuntos correlatos que afetem o tema segurança pública como um todo. 

Além disso, o Rio Grande do Norte recentemente teve operação militar para garantia de lei e de ordem, medida menos extrema que a do Rio, ou seja, o Estado já está no radar do Planalto no tema segurança pública.

*Por Dinarte Assunção

Nenhum comentário:

Postar um comentário