2 de outubro de 2017

No RN, polícia começa a ouvir testemunhas da morte de mulher que teve filha tirada dos braços

A Delegacia de Ceará-Mirim, na Grande Natal, começou a ouvir nesta segunda-feira (2) familiares e amigos da jovem Maria José do Nascimento Farias, de 22 anos, que foi morta pouco após deixar sua filha de 10 meses de vida no chão, a mando dos assassinos. O caso aconteceu neste domingo (1º). 

 De acordo com o chefe de investigação da delegacia, Jefferson Nascimento, a polícia ainda não tem uma linha de investigação, nem um suspeito para o crime, mas o 'modus operandi' - a forma como os criminosos agem - é semelhante a outros casos que vêm acontecendo na cidade.

Ainda durante a manhã, os investigadores começaram a ouvir pessoas que possam ajudar a elucidar o caso antes mesmo de receber as primeiras informações colhidas pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Um parente da vítima foi ouvido pelos policiais, mas a polícia preferiu não divulgar o conteúdo do depoimento. "Quanto mais rápido entrarmos na investigação, mas fácil chegaremos a elucidação do caso e aos responsáveis", considerou o chefe de investigação. Não foi dado prazo para a conclusão do inquérito.

*Jair Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário