20 de março de 2017

Grupo detentor do cimento Nassau vê império à ruína e decreta falência

O Grupo João Santos, que produzia o cimento Nassau e detinha 13% do mercado do produto no Brasil, decretou, oficialmente, sua falência no fim da última semana. 

Em suas 12 fábricas no Norte, Nordeste e Sudeste do País, a Nassau produzia 6,4 milhões de toneladas de cimento por mês. Porém, o Grupo João Santos não era só cimento. Era um império que tinha usinas de açúcar e etanol, fábricas de papel e celulose e uma rede de comunicação, a Rede Tribuna, presente em Pernambuco e no Espírito Santo. 

A crise no grupo econômico foi instalada logo após a morte do patriarca e fundador do império, o empresário pernambucano João Pereira dos Santos. Ele morreu de infarto, em 15 de abril de 2009, aos 101 anos. A briga familiar pelo controle do grupo, que levou à falência do império, teve de um lado Fernando Santos, José Bernardino Santos e Maria Clara Santos, filhos de João Santos, e de outro, as irmãs de João Santos, Ana Maria Santos e Rosália Santos, além de Alexandra, Rodrigo e Maria Helena, filhos do primogênito João Santos Filho, morto em 1980 num desastre de avião no Paraguai. Em 2010, o patrimônio do conglomerado era avaliado pelo mercado em R$ 5 bilhões.

*Blog do Antonio Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário