6 de dezembro de 2016

Sérgio Moro marca depoimento de Fernando Henrique Cardoso na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato na primeira instância, marcou para o dia 9 de fevereiro de 2017 o depoimento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) na ação penal que tem seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, entre os réus. Arrolado como testemunha de defesa do presidente do Instituto Lula, FHC prestará depoimento a partir de videoconferência de São Paulo. 

A oitiva de FHC abrirá os depoimentos das testemunhas de defesa do processo que julga o suposto favorecimento de Lula em três contratados da Petrobras com a OAS, a negociação para a compra e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá em favor da família de Lula e o pagamento de despesas para transporte a armazenagem de objetos do ex-presidente. Além de Fernando Henrique, outro ex-presidente da República foi arrolado como testemunha de Okamoto. José Sarney tem depoimento previsto para o dia 14/02, em videoconferência a partir de São Luiz – MA. 

No mesmo processo, ainda irão depor, mas como testemunhas de Lula, os ex-ministros Alexandre Padilha, Ricardo Berzoini, Walfrido Mares Guia, Jaques Wagner e Gilberto Carvalho, entre outros políticos do PT e de partidos aliados. No mesmo despacho em que marcou as audiências com políticos que hoje não exercem mandato, Sérgio Moro determinou a remessa de ofício aos ministros Henrique Meirelles (fazenda) e Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), ao ministro do TCU José Múcio, ao senador Romero Jucá e aos deputados Arlindo Chinaglia e Henrique Fontana para que escolham uma data, entre 1o. E 8 de março para que prestem depoimento. Também arrolado como testemunha de defesa na referida ação penal, o presidente do Senado, Renan Calheiros, pro conta da prerrogativa de seu cargo, foi notificado a responder se quer prestar depoimento por vídeo, pessoalmente ou por escrito. 

UOL, via Portal Paraná

Nenhum comentário:

Postar um comentário