23 de novembro de 2016

Criança encontrada morta pode ter sido enterrada viva

A investigação da Polícia Civil aponta que a menina, de cinco anos, de Carmo da Mata, no centro-oeste de Minas Gerais, encontrada morta, na última sexta-feira (18), pode ter sido enterrada ainda viva. A polícia chegou até o corpo da criança, que estava desaparecida desde o último dia 12, a partir do depoimento do padrasto dela, que está preso como principal suspeito da morte. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) indicou que a A. C. P. G. foi morta por asfixia. Além da obstrução arterial, o documentou também apontou vestígios de terra nos pulmões da garota, o que indica que ela foi enterrada ainda com vida. De acordo com a Polícia Civil, o laudo não indicou nenhuma lesão interna e nem externa e as investigações continuam para tentar esclarecer a motivação e a dinâmica do crime. 

O caso
A. C. desapareceu no dia 12 de novembro. Em depoimento à polícia a mãe da criança, Marciana Pereira da Cruz, de 23 anos, relatou que a última vez que ela viu a filha foi no meio da tarde de sábado. Marciana teria deixado a garota sentada no sofá de casa, enquanto lavava as roupas da família. O corpo da menina foi encontrado, na última sexta-feira (18), enterrado em uma cova rasa, perto uma plantação de eucalipto, no distrito de São Bento, que fica próximo à cidade de Carmo da Mata. De acordo com a Polícia Civil, o padrasto da criança Alexandre Júnior, de 27 anos, que estava preso como suspeito desde o dia do desaparecimento, indicou o local onde teria enterrado o corpo da enteada e disse que a morte dela foi acidental. O enterro de A. C. aconteceu no sábado (19) e mobilizou a população de Carmo da Mata.

*Do R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário