19 de outubro de 2016

Governo vê economia de R$ 139 milhões ao ano após cortar 8.442 auxílios-doença

O governo cancelou 8.442 auxílios-doença, o que representa 77,5% dos cerca de 10,8 mil que passaram pelo pente-fino do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) até o último sábado (15), segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.
Com isso, o governo espera que sejam economizados R$ 139 milhões por ano. Os cortes foram por causa de irregularidades na concessão dos benefícios, de acordo com o ministério.
Os números fazem parte do primeiro balanço oficial do pente-fino e foram divulgados na segunda-feira (17) pelo secretário-executivo do ministério, Alberto Beltrame. O início da revisão completou um mês.
Na semana passada, o jornal “Agora” divulgou que o governo tinha cancelado cerca de 82% dos 5.000 auxílios-doença revistos até então.
Os primeiros auxílios-doença que passaram pelo pente-fino são dos mais jovens. O INSS convocou dois lotes até agora: o primeiro de pessoas até 39 anos e o segundo de 40 a 45 anos.

O governo diz que foram enviadas quase 80 mil cartas, o que representa pouco mais da metade do total previsto desses primeiros lotes.
Das pessoas que já foram chamadas, cerca de 30 mil marcaram a perícia e outras 41 mil ainda estão dentro do prazo de cinco dias para fazer o agendamento.
Até o sábado, 3.237 pessoas perderam o prazo de cinco dias para fazer o agendamento, e por isso tiveram o benefício suspenso. Outros 3.548 não foram encontrados, e serão convocados por edital.
Como as pessoas serão avisadas?
Ao todo serão convocadas 530 mil pessoas que recebem auxílio-doença, e outros 1,1 milhão de aposentados por invalidez.
O governo afirma que ninguém precisa correr para a agência do INSS ou telefonar, porque as pessoas estão sendo avisadas sobre a revisão por carta.
Quem não tem endereço definido ou mora em lugares onde os Correios não chegam será convocado por edital publicado em imprensa oficial, segundo o governo.
A partir de novembro, as pessoas também serão avisadas da revisão nos caixas eletrônicos.
Foi avisado? Veja o que fazer
Depois de receber o aviso, a pessoa tem cinco dias úteis para agendar a perícia, no telefone 135. Se não fizer dentro do prazo, o benefício será suspenso.
O INSS recomenda atualizar o endereço cadastrado para facilitar a convocação e evitar a suspensão. Isso pode ser feito pelo telefone 135 ou pela internet, no site da Previdência.
Quem perder o prazo e tiver o benefício suspenso deverá ir até uma agência do INSS para agendar a perícia de revisão.
No dia da perícia, a pessoa pode apresentar atestados e exames médicos que tiver, além dos seus documentos.
O resultado da perícia estará disponível no dia seguinte, pelo telefone 135 ou pelo site do INSS.
*UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário