5 de junho de 2016

Ministro dos Esportes nomeia filho de Wando, condenado por tentativa de homicídio, porte ilegal e drogas

O filho do cantor Wando, Vanderley Alves dos Reis Júnior, conhecido como Vandinho Pitbull, foi nomeado nesta sexta-feira (3) como assessor especial do Ministério dos Esportes, comandado pelo deputado federal licenciado Leonardo Picciani (PMDB). A nomeação foi publicada pelo Diário Oficial da União e confirmada pela assessoria de imprensa do ministério. 

Vandinho, que já foi condenado na Justiça do Rio de Janeiro por porte ilegal de armas, de drogas e dupla tentativa de homicídios, vai receber um salário de R$ 11,2 mil para acompanhar Picciani em agendas fora do ministério e para “recolher e dar encaminhamento” a demandas. Vanderley é um dos três filhos de Wando, morto após uma parada cardíaca em fevereiro de 2012. Em 1999, Vandinho, que era empresário, se viu envolvido em uma briga e foi acusado de atirar contra dois seguranças de um posto de gasolina. No tiroteio, ele foi o único ferido, atingido por um tiro no pé direito. 

Entre 2004 e 2005, ele foi julgado duas vezes pelo 3º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. No primeiro julgamento, ele foi condenado a 10 anos de prisão. No segundo, sua pena foi reduzida a dois anos e quatro meses de reclusão. Em 2009, enquanto cumpria a pena no regime semi-aberto, Vandinho teve a prisão novamente decretada por ter ficado mais de um mês sem se apresentar à Casa do Albergado Crispim Ventino, onde tinha que passar a noite. 


Após ser considerado foragido, ele se apresentou à Justiça para cumprir o restante de sua pena. De acordo com a Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) do Rio de Janeiro, Vandinho está em liberdade desde 1º de abril de 2010. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério dos Esportes, Vandinho já atuava como assessor pessoal de Picciani durante a passagem do ministro na Câmara dos Deputados. “O sr. Vanderley Alves dos Reis Júnior trabalha com o ministro Leonardo Picciani há alguns anos, inclusive na Câmara dos Deputados”, disse a assessoria do ministério por e-mail. Ainda segundo a assessoria de imprensa do ministério dos Esportes, o ministro não se sente “constrangido” por trabalhar com Vandinho. 

“O ministro não se sente constrangido com o trabalho desempenhado pelo sr. Vanderley. Os fatos ocorreram há cerca de 20 anos, ele cumpriu sua pena e ninguém pode ser condenado pelo resto da vida”, disse a assessoria por e-mail. Na última sexta-feira, a reportagem do UOL solicitou à assessoria de imprensa do ministério os contatos telefônicos de Vandinho em duas ocasiões, todas por telefone. Nas duas situações, a reportagem foi informada que a assessoria não tinha acesso aos números dele. A reportagem do UOL também tentou localizar o nome dos advogados de Vanderley por meio do sistema de consulta processual do TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), mas os processos contra ele não foram localizados. 

*Por UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário