11 de maio de 2016

Cerro Corá: Nos bastidores da eleição 2016

A informação que se tem é que nesta última terça feira se reuniram os pré-candidatos que formam a oposição em Cerro Corá, Ana Maria, Doca do posto, Adevaldo representando a sua esposa pré-candidata Graça Oliveira, e Francisco José(Chiquinho) esposo de Ana Maria que tem feito um papel de mediador diante destas pré-candidaturas. Como nós já sabemos que a dias atrás os partidos que formam a oposição em uma reunião na sua maioria concordaram que o nome das pré-candidatas seria na composição Ana Maria e Graça Oliveira ficando assim para que decidissem entre elas quem encabeçava, entendes que pela densidade eleitoral e a liderança de Ana Maria seria ela naturalmente que encabeçaria a proposta e Graça como vice é o que a população esperava, haja visto que Ana Maria continua liderando todos os levantamentos que tem sido realizado no município e a  votação obtida na última eleição ninguém pode escurecer este mérito,  mas, com a posição de Graça que ela é a candidata do governo insiste em manter-se como titular que não tem sido fácil a compreensão dos eleitores e parte dos partidos, principalmente por ela vir como dissidência da situação. 

Diante deste comportamento dos 11 ( onze)  partidos, 5 (cinco) resolveram reunirem-se denominando de “grupo B” e fazer outra proposta e lançarem os nomes que seria submetido a um levantamento de opinião pública , realizada a pesquisa com os eventuais postulantes segundo as informações que o resultado caiu com o favorito o nome de Doca, com essa cisão dos 5 (cinco) no conjunto dos 11 (onze) partidos com certeza criou um novo impasse dificultando assim a decisão da reunião anterior que definiram o nome de Ana Maria e Graça, criando assim um ambiente não muito confortável na oposição o que gerou muita expectativa da população e a leitura dos eleitores que desta maneira a oposição não vai a lugar nenhum. 

Com essas resistências Francisco José tentou unificar mas não obteve sucesso nesses entendimentos haja visto a resistência principalmente no campo do grupo B, inclusive mostrando que por parte de Ana Maria não seria a imposição a esse processo o que é importante é que se tivesse na proposta pessoas que realmente tivesse o respaldo da população e dos eleitores, sem menosprezar nenhum , porque reconhece a conduta de cada um,  pessoas de extrema responsabilidade, mas no quesito eleitoral é indiscutível que se faça essa análise percebendo-se que não há consenso até o momento e o eleitorado cobrando uma posição que unifique. 

Na avaliação de Ana Maria é que precisamos entender que os interesses e a responsabilidade pelo zelo do município e das famílias tem que está acima de qualquer interesse pessoal e político das pessoas, entende que um gestor público como ordenador de despesas e de recursos públicos ele tem que ter essa sensibilidade para isso é lhe dado o respaldo da população, ES os motivos que numa gestão pública tem que se evitar as arestas e o descontentamento, a administração  tem que ser consistente   e compartilhada com todos que agregam o projeto de gestão. 

Ana Maria percebendo que o sentimento não é de unidade na conjuntura atual dos grupos decide se afastar dessa articulação por perceber que a forma como está se dando politicamente não é a mais correta, isto não significa dizer que está jogando a toalha, ela que realmente levantou a bandeira da oposição no município, vai repensar juntamente com as lideranças do seu partido qual o rumo deva tomar, com certeza de forma equilibrada e que aponte elementos que dê credibilidade ao município e aos seus eleitores.
São estas as informações que nós obtivemos neste momento, vamos aguardar os novos desfechos que poderão acontecer com essa posição de Ana Maria que na nossa avaliação de forma bem pensada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário