27 de abril de 2016

"Assassinou o sobrinho por motivo torpe numa sala escura", diz assistente de acusação do Caso Thallys da Nóbrega

Nesse dia de abril (27) dar-se-a inicio ao Júri Popular do Caso Thallys da Nóbrega, Acusação e Defesa estão lado a lado tentando justificar e provar se o Réu, Caicoense João Bosco da Nóbrega Costa é absolvido ou condenado pelo crime. O réu foi denunciado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A sessão será presidida pelo Juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, titular da Vara Criminal de Caicó. 

Na mesa de defesa terá o Advogado do Réu, Luiz Cláudio Mello e na mesa acusadora terá os assistentes, Advogado Marcus Vinicius de Franca e Marília Guedes de Vasconcelos Souza. Em contato com a nossa Redação, a Advogada Marília Guedes disse: "Ele assassinou o sobrinho por motivo torpe numa sala escura. Sem que desse possibilidade de defesa da vitima. Com intenção clara de matar. Com cutilada de punhal o qual ele já trouxe consigo do quarto. 

O Golpe transfixou o baço e o coração. Hemorragia interna de 3 litros de sangue. O crime aconteceu na casa da mãe do acusado avó materna da vitima." Ela disse também que espera que a justiça seja feita e que o Réu seja condenado, "Que a família e a acusação esperam que que a justiça seja feita diante de um assassinato tão brutal. Que seja condenado por homicídio triplamente qualificado e que todos nós familiares amigos e assistentes de acusação confiamos na justiça", conclui a Advogada. 

 O Crime: 
 Por volta das 22h30, durante o Carnaval de Caicó, no dia 10 de fevereiro de 2013, o tio identificado como João Bosco da Nóbrega Costa, matou o seu sobrinho, Thallys da Nóbrega Bezerra, covardemente com uma cutilada de punhal, na residência de familiares dos envolvidos localizado à Rua Celso Dantas, no Centro da Cidade.

*Delta Caicó

Nenhum comentário:

Postar um comentário